Rúben Amorim fez esta segunda-feira a antevisão da partida diante do Eintracht Frankfurt, relativa à sexta jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Depois do empate em Tottenham, os leões precisam apenas de um empate para garantir o apuramento para os oitavos de final da 'Champions', fator que Rúben Amorim descarta por completo.

"Nem falámos do empate. Temos de vencer, porque temos de ter noção do momento em que estamos. Qualquer bola que vai à nossa baliza dá em golo. Temos de não sofrer golos, marcar golos e esse fator vai entrar na cabeça dos jogadores nos últimos minutos. Seria um erro pensar no empate logo no início do jogo. Dos adeptos, espero o apoio de sempre. Não estão contentes e fazem bem porque a exigência tem de ser outra", disse Amorim.

O técnico do Sporting não vê vantagem na necessidade do Eintracht em vencer para poder aspirar à qualificação para a próxima fase. Rúben Amorim vê algumas diferenças entre a equipa que enfrentou os leões na primeira jornada, e a atual.

"Não há vantagem nenhuma. O Eintracht mudou o sistema desde o jogo connosco, voltou ao que fez no ano passado, esperar mais pelas equipas, e fez bem com isso. Voltou às suas raízes. Lá, eles pressionaram muito em cima, nós tivemos bola e soubemos aproveitar esse espaço. Quanto a mim, é uma equipa completamente diferente, marca muitos golos. No início do jogo não terá influência, no final é que temos de pensar em mudar para segurar um ponto", afirmou o técnico leonino.

Questionado acerca do facto de a qualificação para os oitavos da liga milionária ser um fator decisivo para a continuidade aos comandos do Sporting, Rúben Amorim diz que tem noção da dimensão do clube e da constante exigência do mesmo, e que, por isso, o apuramento para a fase seguinte da 'Champions' não pesa de modo algum na avaliação que o próprio faz do seu desempenho.

"Nada. Faço a avaliação todos os dias, e farei, sobre se serei a pessoa certa para o Sporting. Nós podemos falhar objetivos ou não, mas começamos todas as épocas do zero e com novos objetivos. Tenho de ter noção da exigência do clube, os objetivos que atingimos ou não, e, principalmente, se sou a pessoa certa. Gosto de assumir responsabilidades e o fator bom que a nossa equipa técnica trouxe foi a exigência sem qualquer tipo de desculpas. Farei objetivamente essa avaliação. Os 'oitavos' não mudam muito. Diz mais do treinador quando nós somos uma equipa melhor e conseguimos ganhar a equipas melhores que nós e não temos tido essa capacidade. Na Liga dos Campeões, é um bocado o ir à luta contra equipas com outros orçamentos e isso não diz muito de uma equipa grande, mas sim de uma equipa talentosa que pode ter bons momentos, mas não consistência. Estes jogos são um extra com um objetivo. A minha avaliação tira a Liga dos Campeões, dá-nos uma avaliação que, em jogos grandes, não temos conseguido fazer o que queremos na I Liga e isso diz mais de mim do que da equipa", defendeu Amorim.

O Sporting chega à última ronda da fase de grupos com sete pontos, necessitando apenas de um empate para garantir, pela segunda vez consecutiva, a qualificação para os oitavos de final da Liga dos Campeões.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.