O FC Porto recebe esta terça-feira os gregos do Olympiacos, treinados por Pedro Martins, em jogo da segunda jornada da Liga dos Campeões. Esta segunda-feira, Sérgio Conceição fez a antevisão ao encontro e deixou claro que o objetivo da equipa portista é ganhar.

A equipa: "O Otávio e Luis Diaz estão em dúvida, não sabemos se podemos contar com eles, até à hora do jogo estão em dúvida. Em relação ao público vejo com muito gosto. Peca por tardio, tendo em conta outros eventos onde tem havido público, se calhar de uma forma não tão segura como num estádio."

Olympiacos: "Conhecendo o que é o comportamento das equipas do Pedro Martins acho que não vai mudar muito. É uma equipa habituada a estes palcos, com muitas presenças na Liga dos Campeões. A Federação Grega protege muito as equipas, o que diz muito sobre o olhar para a Europa. Assim as equipas sentem-se mais frescas na Europa. É uma equipa que vai estar mais fresca do que nós, porque teve um jogo adiado com o rival PAOK. É uma equipa bem orientada por um treinador que conhecemos, é uma boa equipa, venceu ao Marselha, vamos ter dificuldades, mas eles também vão ter. Hoje em dia há muita informação, temos acesso a tudo para que estejamos bem informados sobre o potencial individual e coletivo do Olympiacos".

Tática: "Temos de olhar para nós e tentar levar o jogo para onde queremos. Em termos estratégicos não vou partilhar, faz parte da estratégia, mas vamos centrar muito do trabalho na nossa equipa, no que podemos e devemos fazer. Em relação às bolas paradas vamos continuar a dedicar tempo, sem o Alex Telles temos de trabalhar com outros. No último jogo da Champions o primeiro golo foi de bola parada e o segundo também, é sempre um momento importante no jogo."

Os reforços: "Inclui o Fábio Vieira porque é da equipa principal, não penso nele como um jogador da equipa B ou da formação. Temos pouco tempo de treino com alguns dos reforços, por isso temos de dar tempo a esses jogadores e inclui-los dentro da equipa e onde se sintam confortáveis. O Sarr foi incluído na equipa porque jogou em França numa linha de cinco e onde se sente confortável e deu-me sinais de que estava preparado. Aos poucos, vamos dando tempo, mesmo sem muito tempo de trabalho entre os jogos, que são todos para ganhar, se não perdemos pontos que podem ser decisivos no final."

Penáltis falhados: "Há uma ordem de marcados, de acordo com o que trabalhamos. O Matheus bate dez penáltis no treino e marca dez. Acontece um ponta de lança falhar um golo em frente à baliza, ou um defesa. Errar faz parte do jogo. Eu também erro muito."

Fator casa: "É sempre fundamental ganhar em casa. No meu primeiro ano perdermos com o Besiktas em casa e na jornada seguinte vencemos fora. É sempre importante ganhar jogos em casa, não sendo decisivo, é sempre importante."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.