Thierry Henry não devia ter jogado a final da Liga dos Campeões em 2009. O astro francês representava o Barcelona, na altura, mas, no dia da final frente ao Manchester United, estava lesionado. Mas o desejo de ficar na história falou mais alto e Henry mentiu para poder jogar.

"Tinha de competir. Íamos vencer as seis taças, como diz a música, e não conseguia dobrar o joelho e correr bem, mas tinha de jogar, era tão simples quanto isso. Se estava bem? Penso que não. Se ajudei? Espero que sim, mas estava lá. Joguei tanto quanto conseguia, porque eles perguntavam-me se estava bem e eu dizia que sim, claro. Eu nunca iria dizer que não estava bem. É assim que as coisas são", disse o agora treinador francês.

Na final, Henry aguentou 72 minutos, altura em que foi substituído por Seydou Keita.

O agora treinador do Montreal Impact, da Major League Soccer, lesionou-se num joelho na goleada ao Real Madrid, por 2-6, quatro semana antes da final. Henry já tinha falhado a final da Taça do Rei.

Nessa final, ganha pelo Barcelona de Pep Guardiola, os golos dos 'culés' foram apontados por Messi e Eto´o, os outros dois que faziam parte do tridente ofensivo do Barcelona. Cristiano Ronaldo estava no Manchester United mas ficou em branco nessa final.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.