Esta terça e quarta-feira disputou-se a terceira jornada da Liga dos Campeões 2020/2021. As derrotas de PSG, Manchester United e Shakhtar Donetsk trouxeram alguma surpresa a esta ronda.

Por outro lado, o hat-trick de Diogo Jota foi uma surpresa agradável para os portugueses e valeu ao internacional português a nomeação para jogador da semana da liga milionária, que disputa com os outros jogadores em destaque esta jornada: Youssef En-Nesyri do Sevilha (bisou frente ao Krasnodar)Alassane Pléa do Monchengladbach (hat-trick no embate com o Shakhtar Donetsk) e de Erling Haaland do Borussia Dortmund (bisou frente ao Club Brugge).

Noite de pesadelo tiveram os goleados Ferencváros, Salzburgo, Atalanta e Shakhtar Donetsk.

Grupo A

No primeiro jogo do grupo esta jornada, o Atlético Madrid empatou na terça-feira na deslocação ao terreno do Lokomotiv Moscovo (1-1), num jogo em que João Félix foi titular.

A equipa de Diego Simeone não precisou de muito tempo para chegar à vantagem. Aos 18 minutos, Héctor Herrera tirou um cruzamento milimétrico para o coração da área, onde estava José Giménez, que desviou de cabeça para o fundo das redes.

Mas, durou pouco a vantagem 'colchonera' porque aos 25 minutos Anton Miranchuk restabeleceu a igualdade no marcador, de grande penalidade, a castigar um desvio de Herrera com o braço.

A dupla Suárez-Félix esteve em destaque no encontro. Aos 58' o português rematou em arco para uma bela defesa de Guilherme. O guardião do Lokomotiv voltou a mostrar serviço quando desviou junto à barra um remate de cabeça do ex-Benfica, aos 66 minutos. No entanto, o marcador acabaria por não sofrer alterações.

No outro jogo do grupo A, o Bayern de Munique goleou o Salzburgo por 6-2, na Aústria. Os homens da casa até inauguraram o marcador logo aos quatro minutos por Berisha, mas os alemães acabariam por dar a volta com facilidade. Lewandowski fez o primeiro de penálti aos 21 minutos e, aos 44, Kristensen fez a reviravolta ao marcar na própria baliza.

Okugawa ainda voltou a empatar para os austríacos, mas Boateng (79'), Sané (83'), Lewandowski (88') e Hernández (93') acabaram por dar a vitória ao Bayern de Munique.

Disputada a 3ª jornada, o Bayern de Munique lidera o grupo A com nove pontos e o Atlético de Madrid está em segundo com quatro. O Lokomotiv ocupa o 3º lugar com dois pontos, enquanto o Salzurgo soma um.

Grupo B

Também na terça-feira, o Shakhtar Donetsk, treinado pelo português Luís Castro, viveu um autêntico pesadelo na receção ao Borussia Mönchengladbach, ao ver-se goleado por 6-0 pelo conjunto alemão.

O triunfo do Borussia Mönchengladbach, com seis golos sem resposta, começou a desenhar-se logo aos aos oito minutos, com Alassane Plea a inaugurar o marcador para os visitantes. Um autogolo de Valerii Bondar ampliou a vantagem aos 17 e aos 26 chegou o 3-0, assinado por Alassane Plea. À beira do intervalo a catástrofe agravou-se, com o 4-0, da autoria de Ramy Bensebaini.

Abalado pelo avolumar do resultado, a equipa ucraniana foi incapaz de reagir no segundo tempo e ainda sofreu mais dois golos. Lars Stindl fez o 5-0 e Alassane Plea fechou, à entrada para o quarto de hora final, o resultado em 6-0 para o conjunto germânico.

No segundo jogo do grupo, o Real Madrid somou a primeira vitória nesta edição da Liga dos Campeões, ao bater o Inter Milão por 3-2.

O conjunto de Zidane tentou por várias vezes chegar ao golo mas só conseguiu festejar aos 25 minutos, com Karim Benzema, rapidíssimo, a aproveitar um deslize de Hakimi para intercetar a bola, tirar o guardião do Inter do caminho e atirar para o fundo da baliza deserta. Aos 33' Sergio Ramos dilatou a vantagem 'merengue', num cabeceamento certeiro após canto cobrado na esquerda por Toni Kroos.

Lautaro Martínez, que já havia ameaçado o golo, conseguiu reduzir para os italianos apenas dois minutos depois, assistido por um delicioso toque de calcanhar de Barella. E, depois de muita insistência, o Inter chegou ao empate já no segundo tempo, com Lautaro Marínez a tocar de cabeça para Perisic (68'), que atirou para o fundo da baliza de Courtois.

Mas, o Real Madrid não baixou os braços e acabou por chegar ao 3-2 por Rodrygo, após cruzamento de Vinícius Júnior.

Com estes resultados, a equipa 'merengue' subiu ao segundo lugar, com os mesmos quatro pontos do Shakthar Donetsk e a um ponto do líder Monchengladbach. Já o Inter Milão ocupa a última posição com dois pontos.

Grupo C

O FC Porto venceu, esta terça-feira, os franceses do Marselha por 3-0, no Estádio do Dragão, num triunfo fácil para os comandados por Sérgio Conceição perante um Marselha que mostrou muitas debilidades defensivas. Marega, Sérgio Oliveira (g.p.) e Luis Díaz fizeram os golos portistas.

Num estádio do Dragão sem público, o FC Porto marcou cedo, bem cedo, por intermédio de Marega, logo aos quatro minutos. Corona conseguiu cruzar para o lado contrário, onde apareceu o avançado maliano sozinho, que só teve de encostar.

Por volta dos 10 minutos, o Marselha desperdiçou uma grande penalidade apontada por Payet, depois de o árbitro espanhol, Antonio Mateu Lahoz, ter assinalado falta de Sarr sobre Thauvin na área portista.

Por volta da meia hora, castigo máximo novamente assinalado, mas desta vez favorável ao FC Porto, depois de Corona ter caído na área depois de uma falta de Amavi. Sérgio Oliveira converteu com sucesso a grande penalidade. Com um remate rasteiro, Mandanda ainda adivinhou o lado, mas não conseguiu travar a bomba do médio português.

Já no segundo tempo, com o Marselha a mostrar claras dificuldades em fazer fluir o seu futebol, a equipa portuguesa voltou a marcar, desta vez por intermédio de Luis Díaz. Aos 69 minutos, depois de um grande trabalho de Corona a simular o passe para Marega, o mexicano acabou por servir Luis Díaz e o colombiano encheu o pé e atirou para o 3-0.

À mesma hora, o Manchester City bateu o Olympiacos de Pedro Martins, por 3-0. A equipa de Pep Guardiola assumiu o controlo do jogo e aos 12 minutos chegou à vantagem por Ferrán Torres. Num jogo de sentido único, os comandados de Pedro Martins chegaram ao intervalo sem terem feito um único remate.

O Manchester City foi gerindo a vantagem e chegou ao segundo numa boa jogada de Gabriel Jesus (81'), a rematar cruzado para o fundo da baliza de José Sá.

João Cancelo, lançado nos minutos finais juntamente com Bernardo Silva, assinou o 3-0 com um belo remate de pé esquerdo, à entrada da área.

Assim sendo, o Manchester City mantém-se firme na liderança do grupo, com nove pontos, mais três do que o FC Porto (2.º). O Olympiacos soma a segunda derrota e está no terceiro lugar, com três pontos. O Marselha é 4.º e último colocado com três derrotas em três jogos e zero pontos.

Grupo D

Ainda na terça-feira, o Ajax venceu o Midtjylland, por 2-1, na Dinamarca. Antony marcou para os holandeses logo no primeiro minuto de jogo e Tadic aumentou a vantagem aos 13 minutos. Dreyer ainda reduziu para os homens da casa, mas não evitou o desaire.

À mesma hora, Diogo Jota tinha uma autêntica noite de sonho. O Liverpool foi a Itália vencer por 5-0 e Jota assinou um memorável 'hat-trick', marcando pelo terceiro jogo consecutivo e chegando aos sete golos em dez jogos desde que trocou o Wolverhampton pelo seu novo clube.

Diogo Jota começou por abrir caminho ao triunfo do Liverpool com o seu primeiro golo na partida, estavam decorridos apenas 16 minutos de jogo. O internacional luso estava 'endiabrado' e elevou a contagem pouco depois da meia hora de jogo, levando a sua equipa a vencer por 2-0 para o intervalo.

A segunda parte arrancou, depois, com mais dois golos de rajada do Liverpool. Salah, aos 47 minutos, fez o 3-0 e aos 49 Sadio Mané elevou para 4-0.

Mas a noite não acabaria sem que Diogo Jota voltasse a marcar, para fechar com o seu 'hatr-trick' um triunfo claro do Liverpool. Um triunfo que, numa noite verdadeiramente inesquecível, Diogo Jota abriu e fechou.

Com este resultado, o Liverpool segue 100 por cento vitorioso no Grupo C, enquanto a Atalanta segue com quatro pontos e vê-se igualada pelo Ajax no segundo posto. O Midtjylland ocupa o último lugar, ainda sem pontos.

Grupo E

Já esta quarta-feira, o Chelsea bateu o Rennes por 3-0. Timo Werner abriu o marcador à passagem do minuto 3 de grande penalidade. O mesmo dianteiro ampliou a vantagem em nova grande penalidade. Tammy Abraham fechou as contas, ao minuto 50.

Já o Sevilha de Julen Lopetegui bateu o Krasnodar por 3-2, mas o jogo acabou por ser de elevado grau de dificuldade para os andaluzes. Os donos da casa estiveram a perder por 2-0 depois dos golos de Suleymanov e Marcus Berg.

Ainda na primeira parte, Rakitic reduziu e a reviravolta acabou por ser feita já na segunda parte, com um bis de Youssef En-Nesyri.

Assim, Chelsea e Sevilha lideram o grupo com sete pontos cada um, enquanto Krasnodar e Rennes estão nos últimos lugar com um ponto.

Grupo F

Também na quarta-feira, os russos do Zenit receberam os italianos da Lazio num jogo que terminou empatado a uma bola. A contar para a 3ª jornada do grupo, o encontro foi arbitrado pelo português Artur Soares Dias.

O médio russo Aleksandr Erokhin adiantou o Zenit no marcador aos 32 minutos de jogo, mas, já na segunda parte, aos 82 minutos, o espanhol Felipe Caicedo (que passou pelo Sporting) empatou o encontro.

O ex-Sporting Wendel foi lançado pelo técnico Sergei Semak apenas aos 91 minutos de jogo, naquele que foi o terceiro jogo do médio na prova.

Já à noite, o Borussia Dortmund, com Raphael Guerreiro a titular, venceu esta quarta-feira o Club Brugge por 3-0. Os alemães resolveram a contenda na primeira meia hora de jogo. Thorgan Hazard abriu o marcador para os germânicos (14´). Depois Erling Haaland, que foi o destaque da partida, bisou em apenas 15 minutos, aos 18´ e 32´.

O Dortmund lidera o conjunto com seis pontos, seguido da Lázio, com cinco. O Club Brugge conta com quatro pontos e o Zenit com um ponto.

Grupo G

Também na quarta-feira, o Barcelona sofreu para vencer o Dínamo Kiev (2-1), em Camp Nou.

Lionel Messi abriu a contagem logo aos quatro minutos, na marcação de uma grande penalidade sofrida pelo próprio. A primeira oportunidade de real perigo do Dínamo Kiev, que teve várias ausências devido à COVID-19, só surgiu ao minuto 35, com Buyalskyi a obrigar Ter Stegen a uma enorme defesa.

 A segunda parte começou com o Dínamo Kiev a marcar, mas foi dada bola fora na totalidade, no cruzamento para o desvio de cabeça de Kedziora. Acabou por ser o Barcelona a chegar novamente ao golo, desta feita por Piqué (65'), a cabecear com espaço na área após cruzamento de Ansu Fati.

Aos 75 minutos, já com Trincão em campo, Tsygankov fez o golo de honra para o Dínamo Kiev, na recarga a um primeiro remate do recém-entrado Verbic.

À mesma hora, a Juventus goleou o Ferencvaros (4-1), na Hungria. Cristiano Ronaldo foi a grande novidade no onze de Andrea Pirlo, tendo sido a primeira vez que o internacional português foi titular após a infeção por COVID-19. Ainda assim, o jogador ficou em branco.

Ronaldo esteve muito perto de abrir o marcador para a Juventus, mas falhou o desvio de calcanhar na resposta ao cruzamento de Cuadrado, acabando por ser Morata a surgir nas costas do português e a fazer o 1-0 para os italianos.

Na segunda parte, Ronaldo (47') tentou o golo de livre direto, mas o remate saiu à figura de Dibusz. O português teve nova oportunidade para marcar dez minutos depois, aproveitando um mau passe do Ferencvaros na saída para o ataque, mas atirou ligeiramente ao lado da baliza.

Mas era Morata (60') quem estava com a pontaria afinada, ele que tem sido criticado por marcar demasiados golos em posição irregular. Ronaldo conduziu a bola na direita e cruzou para McKennie, que deixou passar para o 'bis' do espanhol. Paulo Dybala saltou do banco para render Morata e não precisou de muito tempo para fazer o 3-0, aos 72 minutos, aproveitando um erro de Dibusz.

O guardião do Ferencvaros cometeu novo erro crasso aos 83', colocando a bola nos pés de Dybala. O argentino rematou, com Dvali ainda a tentar o corte, mas a marcar na própria baliza.

Com este resultado, o Barcelona segue na liderança do Grupo G, com nove pontos (três triunfos em três jogos), mais três do que a Juventus (2.º). Já o Dínamo Kiev é terceiro classificado, com um ponto, tal como o Ferencvaros (4.º).

Grupo H

No último grupo, o Manchester United sofreu a primeira derrota nesta edição da Liga dos Campeões, no terreno do Basaksehir (2-1). Bruno Fernandes foi titular e um dos mais inconformados no conjunto inglês.

A surpresa começou logo ao minuto 13, com o Basaksehir a aproveitar uma desatenção da defensiva do Manchester United para inaugurar o marcador. Após um canto a favor dos 'red devils', há um pontapé em jeito de alívio de um homem da equipa turca, que deixa Demba Ba completamente isolado, ainda no meio-campo defensivo. O senegalês correu com a bola controlada e não perdoou no frente a frente com o estreante Dean Henderson.

A equipa de Solskjaer sentia dificuldades em furar a organização defensiva dos turcos, que dilataram a vantagem ao minuto 40'. Turuç roubou a bola a Juan Mata e acelerou pela esquerda, cruzando depois para a área, Demba Ba deixou a bola passar até Visca, que atirou para o fundo das redes.

Foi preciso um 'abanão' para o Manchester United despertar e chegar ao 2-1, na primeira jogada de perigo que construiu. Desta vez foi o Basaksehir que estava desatento, concedendo espaço suficiente a Martial para marcar de cabeça, na resposta a um cruzamento de Luke Shaw.

Já numa reedição das meias finais da final 8 em Lisboa, desta feita foi o Leipzig a levar a melhor batendo o PSG por 2-1. Angel Di María abriu o marcador para os franceses à passagem do minuto 6´. Mas, ainda na primeira parte, o Leipzig chegou à igualdade por intermédio de Nkunku.

Já na segunda parte, Forsberg (57´) de grande penalidade confirmou a reviravolta no marcador.

Com estes resultados, o Manchester United mantém-se na liderança do Grupo H, com seis pontos, os mesmos que o Leipzig. Já o PSG está em terceiro lugar com três pontos, os mesmos que o Basaksehir, que somou a primeira vitória na Liga dos Campeões.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.