Quando o Atlético chega ao golo contavam-se 22 segundos depois da bola ter começado a rolar do Wanda Metropolitano. Não há estratégia que resista a início tão 'madrasto'. De um erro individual de Coates, nasceu o primeiro do 'Atleti' frente ao Sporting na novíssima casa dos 'colchoneros', colorida com o verde e branco dos 3500 adeptos do verdes e brancos que vieram à capital espanhola apoiar a sua equipa.

Talvez absorvido pela atmosfera eletrizante destes grandes palcos, e estando ciente da responsabilidade de se tratarem dos quartos de final de uma grande competição, o Sporting tremeu nos primeiros minutos e foi Coates o primeiro a dar 'parte fraca'. E viria a tremer, mais e mais ao longo do jogo. A noite desinspirada contagiou o colega de setor, que no segundo golo do Atlético falhou a abordagem num corte, que resultou no tento de Griezmann.

Mas não se pode resumir o jogo do Sporting a dois erros individuais: O equipa de Jorge Jesus, coletivamente, evidenciou boa qualidade na ligação entre os setores. O bloco defensivo do Sporting esteve no geral, bem, mas do miolo para a frente faltou inspiração a algumas pedras fundamentais na manobra ofensiva da equipa portuguesa.

Com o 'murro no estômago' que foi sofrer um golo antes do primeiro minuto, o Sporting passou um mau quarto de hora e nesse período até poderia ter sofrido, mais um ou dois golos. Com o decorrer do tempo, os leões serenaram e adquiriram o controlo do jogo. Mas lá diz a velha máxima do futebol: 'Não interessa ter muita bola, mas sim o que se faz com ela': O Sporting teve 55% de posse de bola e o Atlético apenas 45%.

Do outro lado tinha um adversário, que já se sabia, é sólido defensivamente e sufoca o adversário, levando-o ao erro. Não é fácil desmontar a equipa de Diego Simeone. Só o melhor Sporting poderia colocar verdadeiramente em xeque a equipa da casa. Só que alguns dos jogadores mais importantes dos leões apresentaram défice de rendimento. Bruno Fernandes não conseguiu emprestar a criatividade habitual ao jogo dos leões e isso notou-se. Bas Dost passou ao lado do jogo. Só Gelson apareceu como elemento desequilibrador; ele que teve nos pés a melhor oportunidade dos leões do jogo, mas desperdiçou. (24).

São este 'pequenos pormenores', como Jorge Jesus admitiu na conferência de imprensa após o jogo que fazem toda a diferença. Mesmo contando com grandes interpretes, o Sporting foi incapaz de definir com sucesso as duas grandes oportunidades de que dispôs no encontro: Por intermédio de Gelson e Montero. Chances, que Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid, o Sporting não viu desperdiçarem.

A ineficácia paga-se e cara. O Sporting voltou a provar o veneno do 'atleti' no lance do segundo golo, em novo erro, desta feita de Mathieu. Tal como um peixe atarantado que abandona o cardume, o Sporting deixou-se a mercê do golpe de misericórdia do Antoine Griezmann. Erros todas as equipas cometem. O Atlético cometeu-os, mas soube aproveitou as falhas dos leões. O Sporting não.

No 'pressing final' à baliza de Oblak e com o Atlético já a pensar no jogo com o Real Madrid do fim de semana, Jorge Jesus lançou Rúben Ribeiro e Montero. O colombiano teve o golo nos pés em cima do apito final, mas falhou na cara do golo, frente a Oblak. O Sporting tem vida difícil para dar a volta à eliminatória em Alvalade.

Momento

Golo de Koke aos 22 segundos. Estragou os planos a Jorge Jesus e intranquilizou a equipa verde e branca. O Sporting tentou responder, mas o golo madrugador permitiu ao emblema de Simeone gerir o jogo como gosta.

Altos

Gelson 

Foi o elemento desequilibrador na equipa do Sporting. Às vezes exagerou nas ações individuais. Foi muitas vezes 'Gelson' contra o mundo, mas é de elogiar a sua irreverência. Pecou pela oportunidade falhada ao minuto 24.

Saúl Niguez, Correa e Koke

A velocidade destes três jogadores foi a receita para abanar o Sporting nos momentos iniciais da partida, que culminaram no golo da equipa da casa logo aos 22 segundos. A pressão sobre a bola da equipa de Simeone acabou por resultar nos dois erros dos centrais do Sporting.

Griezmann

Foi o francês que deu uma 'bofetada' nas aspirações do Sporting em ainda poder discutir o resultado. Sempre disponível para percorrer todos os terrenos, foi letal na finalização ao aproveitar um erro de Mathieu.

Baixos

Coates e Mathieu

Noite para esquecer para a dupla centrais. Coates ofereceu o golo ao Atlético logo aos 22 segundos e ficou muito afetado por esse lance. Somou erros em catadupa que resultaram em vários momentos de aflição para a defesa do Sporting. Mathieu também se deixou contagiar pelo colega. Teve erro de palmatória ao falhar um corte que haveria de resultar no golo de Griezmann.

Reações

Simone elogia o "animal" Diego Costa e atira: "Talento de Griezmann e Koke fez o jogo pender para nós"

Jorge Jesus: "O Atlético fez a diferença no nosso erro"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.