Um jogo com esta intensidade pedia um final pacífico (para não dizer feliz) e assim foi. O SC Braga empatou 3-3 na receção ao Wolverhampton e apurou-se para os 16 avos de final da Liga Europa, quando falta disputar uma jornada. André Horta, aos seis minutos, Paulinho (64') e Fransérgio (79') marcaram para os 'arsenalistas'. Jiménez (14'), Doherty (34') e Adama Traoré (35') fizeram os golos da formação inglesa, que também segue em frente na prova.

Ricardo Sá Pinto apostou na mesma equipa que bateu o Gil Vicente no último fim de semana, para a Taça de Portugal, enquanto Nuno Espírito Santo mudou uma peça em relação ao jogo em Bournemouth – Jonny rendeu Otto -, com Rui Patrício, Rúben Neves, João Moutinho e Diogo Jota a jogarem de início.

O SC Braga entrou melhor e chegou ao golo no primeiro movimento ofensivo que teve no jogo, aos 6 minutos, com um remate de fora de área de André Horta. A bola desvia em Rúben Neves e acaba por trair Rui Patrício.

Os ‘wolves’ tentaram responder ao golo sofrido e rapidamente assumiram o controlo da partida. O empate chegou pouco tempo depois, num excelente cruzamento de Diogo Jota, com Eduardo a falhar a saída e Raúl Jiménez (13’), ao segundo poste, a cabecear para o fundo da baliza.

Aos 17 minutos, André Horta tentou servir Galeno em velocidade, mas o passe saiu com muita força. A partir daí só deu Wolverhampton. Após algumas oportunidades desperdiçadas, a equipa de Nuno Espírito Santo confirmou a ‘cambalhota’ no marcador com dois golos de rajada: aos 34' Jiménez encontrou Doherty completamente solto na área, com o irlandês a cabecear para o fundo das redes; apenas um minuto depois, o mexicano assistiu Adama Traoré na direita, o extremo trabalhou bem na área e atirou a contar para o 3-1.

Depois de uma primeira parte frenética, o ritmo baixou consideravelmente no segundo tempo, mas a emoção manteve-se até ao fim. O Wolverhampton voltou a estar perto do golo aos 52 minutos: Traoré deixou três adversários para trás e cruzou para Diogo Jota cabecear, mas Eduardo respondeu com uma grande defesa.

Em cima da hora de jogo, Wallace lesionou-se e deu lugar a Wilson Eduardo, que procurou assustar Rui Patrício com um remate de fora de área (61’), mas o guardião português estava atento.

O SC Braga acabou por reduzir pouco tempo depois, na sequência de uma grande jogada de Galeno na esquerda, a cruzar para a finalização fácil de Paulinho. Faltava um golo para garantir o apuramento para os 16 avos de final.

Sá Pinto voltou a mexer na equipa e lançou Rui Fonte para o lugar de Ricardo Horta. Os ‘wolves’, por sua vez, já tinham seis portugueses em campo – Pedro Neto e Rúben Vinagre renderam Jiménez e Traoré.

A superioridade dos minhotos nesta fase do jogo foi recompensada com o 3-3 final, num desvio de cabeça de Fransérgio após cruzamento de Sequeira. Com este resultado, o SC Braga torna-se a primeira equipa portuguesa a somar 12 jogos consecutivos sem perder na história das competições europeias, e vai decidir na última ronda quem fica em primeiro lugar do grupo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.