Marrocos tornou-se hoje a quarta seleção africana a atingir os quartos de final de um Campeonato do Mundo de futebol, ao bater a Espanha no desempate por penáltis (3-0), após 120 minutos sem golos, nos ‘oitavos’ do Mundial2022.

A formação marroquina, que vai encontrar nos ‘quartos’ o vencedor do embate entre Portugal e a Suíça, ‘replica’ os feitos dos Camarões, em 1990, do Senegal, em 2002, e do Gana, em 2010, sendo que todos falharam as ‘meias’.

Em 1990, os Camarões foram pioneiros, atingindo os ‘oitavos’ ao vencerem o Grupo B, à frente de Roménia, Argentina e União Soviética, e, depois, ao baterem a Colômbia por 2-1, após prolongamento, graças a um ‘bis’ de Roger Milla.

Nos quartos de final da prova realizada em Itália, a formação africana esteve a vencer a Inglaterra por 2-1, mas acabou vergada a dois penáltis de Gary Lineker, o segundo já no prolongamento, perdendo por 3-2.

Tudo sobre o Mundial2022: jogos, notícias, reportagens, curiosidades, fotos e vídeos

Uma dúzia de anos depois, na Coreia do Sul e Japão, foi a vez do Senegal, que acabou como segundo do Grupo A, atrás da Dinamarca e à frente do Uruguai e da então campeã em título França, que bateu no jogo inaugural, por 1-0.

Nos oitavos de final, os senegaleses superar os suecos por 2-1, graças a um ‘golo de ouro’ de Henri Camara, mas, nos ‘quartos’, acabaram por ‘tombar’ da mesma forma, face à Turquia (0-1), que venceu com um tento ‘dourado’ de Ilhan Mansiz.

A terceira seleção africana a chegar aos ‘quartos’ foi o Gana, que, em 2010, começou por ficar no segundo lugar do Grupo D, atrás da Alemanha e à frente de Austrália e Sérvia.

Depois, os ganeses superaram os Estados Unidos por 2-1, após prolongamento, com Asamoah Gyan a resolver. De ‘herói’ a ‘vilão foi, porém, um passo, já que, nos ‘quartos’, aos 120 minutos, com 1-1 no marcador, falhou um penálti.

O jogo foi para o desempate por penáltis, e aí Gyan marcou, mas quem seguiu em frente foi o Uruguai (4-2).

Em 2014 e 2018, nenhum conjunto africano logrou atingir os ‘quartos’, algo que mudou hoje, com Marrocos a afastar a Espanha nos penáltis, num desempate em que acertou três de quatro pontapés, enquanto os espanhóis falharam os três tentados.

Antes, na fase de grupos, Marrocos já se tinha evidenciado, ao vencer o Grupo F, ficando à frente da vice-campeã em título Croácia, também qualificada, e ainda de Bélgica, terceira em 2018, e Canadá, que ficaram pelo caminho.

Nos ‘quartos’, face a Portugal ou Suíça, Marrocos vai tentar fazer história e tornar-se a primeira seleção de África a atingir as meias-finais de um Campeonato do Mundo.

O SAPO está a acompanhar o Mundial mas não esquece as vidas perdidas no Qatar. Apoiamos a campanha da Amnistia Internacional e do MEO pelos direitos humanos. Junte-se também a esta causa. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.