"At the end of a storm
There's a golden sky
And the sweet silver song of a lark"

Depois de uma tempestade que afastou o título máximo de Inglaterra de Anfield, o Liverpool volta a ver o seu "golden sky" e sagra-se campeão inglês, 30 anos depois.

A confirmação chegou a Anfield via Stanford Bridge, graças à vitória do  Chelsea sobre o Manchester City que impede os 'citizens' de  chegarem aos 86 pontos já obtidos pela equipa de Klopp, garantindo o título para o Liverpool.

Pulisic, aos 36 minutos, fez o golo dos 'blues' e De Bruyne, aos 55', empatou o encontro.

Aos 77 minutos, Fernandinho fez de guarda-redes e impediu o golo do Chelsea com o braço. Vermelho direto para o brasileiro e penalti convertido com sucesso por Willian.

No sofá, a vitória em Londres garante o título para os 'reds', colocando um ponto final na travessia do deserto do clube.

Para encontrar o último título do emblema Liverpool, é preciso recuar até 1989/90 quando os ‘reds’ celebraram o seu 18.º e último título.

Autores de um trajeto sensacional, com 28 vitórias em 31 encontros, os comandados do alemão Jürgen Klopp conquistam finalmente o troféu da Premier League, um troféu nunca levantado em Anfield (desde que a era 'Premier League' começou o Liverpool nunca tinha sido campeão).

O Liverpool soma 28 vitórias em 31 encontros na Premier League

Depois de uma paragem de três meses e oito dias devido à pandemia da COVID-19, a prova regressou na passada quarta-feira mas todas as atenções estavam centradas no Liverpool, que, equipa que dominou a prova desde o início.

A celebração essa,que não será a merecida devido às restrições impostas pela COVID-19, mas o Mayor de Liverpool já avançou que quando for possível, a festa invadirá as ruas da cidade dos Beatles.

Anfield Road
Anfield Road não vai ter público para festejar o título do Liverpool

Mais do que vencer a prova e somar o 19.º cetro, a um dos 20 do Manchester United - que não ganha desde o ‘adeus’ de ‘Sir’ Alex Ferguson, em 2012/13 -, o Liverpool pode ainda tornar-se no campeão com mais pontos na história da prova.

O recorde de 100 pontos do ‘onze’ de Guardiola, em 2017/18, está ao alcance do conjunto Klopp, que só necessita de 15, o que significa que pode ceder seis, depois de nas primeiras 31 rondas apenas ter perdido sete.

A igualdade a um golo no reduto do Manchester United, à nona jornada, o ‘escandaloso’ desaire por 3-0 na casa do Watford, à 28.ª, a penúltima antes da paragem, e o empate a zero bolas no dérbi de Merseyside frente ao Everton no regresso da prova, são as únicas ‘manchas’ no impressionante trajeto dos ‘reds’.

Desta forma, tudo aponta para uma época histórica para o conjunto da cidade dos Beatles, que, imediatamente antes do ‘aparecimento’ da COVID-19, ficou fora do ‘Champions’, inesperadamente afastado pelo Atlético de Madrid (2-3 em casa, após prolongamento, depois de 0-1 na capital espanhola).

Com ou sem Champions, que já conquistou no ano passado, na final frente ao Tottenham, os 'reds' voltam a celebrar o final de uma seca bem maior que a europeia - a última Liga dos Campeões do Liverpool datava de 2005 - desta vez com o distanciamento social a que os tempos obrigam, com Anfield e 'The Kop' vazios, mas com a certeza de que esta música se vai ouvir alto na cidade inglesa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.