"Não posso continuar nesta situação. Levo meio ano sentado no banco e perdi inclusivamente o lugar de titular da selecção", afirma o jogador russo.

"Se Deus quiser e a Rússia se qualificar para o Mundial, quem vai confiar num dianteiro que não joga?", pergunta Róman Pavlyuchenko, de 27 anos.

"Quero saltar para o campo e não aquecer o banco. Depois do "play-off" com a Eslovénia iniciaremos negociações sérias com a direcção em Londres", acrescentou.

O jogador russo, que custou 14 milhões de euros em 2008 ao clube londrino, está preocupado com o preço que o Tottenham pedirá por ele, porque poderá "afugentar potenciais compradores", e indicou que vai falar com os dirigentes do clube para os "convencer a baixarem o preço".

Róman Pavlyuchenko não esconde estar incomodado com o facto do técnico da equipa, Harry Redknapp, o considerar a quarta opção para o ataque, depois de Defoe, Keane e Crouch.

"Se houver uma boa oferta da Rússia aceito-a. É que se assinar com uma equipa da Alemanha ou de Espanha perco a primeira temporada na aclimatação e na minha idade isso não é muito desejável", observou o jogador russo, indicando ter propostas do futebol inglês, alemão e russo.

O jornal Sport-Express afirmou terça-feira que o Zenit ofereceu 11 milhões de euros ao Tottenham por Róman Pavlyuchenko.

A direcção do clube britânico diz ver com bons olhos o interesse do Zenit e de outros clubes europeus no jogador, mas que o seu preço é de 16 milhões de euros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.