Argel foi convidado a assumir o comando técnico do Figueirense, quando o clube atravessava uma fase complicada.

Em 11 jogos, o Figueirense tinha duas vitórias, um empate e oito derrotas, e está na zona de despromoção.

Porém, com a chegada do novo treinador tudo mudou. O clube já não sabe o que é perder há cinco jogos e agora respira melhor no 12º lugar, fora da zona de despromoção.

Depois de uma goleada por 5-0 na sua estreia com o Cruzeiro, que podia condená-lo à partida, a sua equipa começou calmamente a dar respostas em campo semana atrás de semana. O Figueirense não joga um futebol bonito, mas faz vir ao de cima a eficácia que antes não era patente.

Argel tem sido elogiado no Brasil pelo seu trabalho, mas em entrevista ao SAPO Desporto, nega que haja alguma receita mágica para o que está a acontecer.

“É uma experiência normal. Já conheço o clube há muito tempo, esta é a segunda vez que trabalho no clube. Estamos a recuperar a equipa e os jogadores têm dado uma resposta muito boa. Agora é continuar o campeonato. O nosso objetivo é permanecer na primeira divisão do campeonato brasileiro”, começou por dizer o treinador.

Argel realça que esta é a sua terceira experiência no principal campeonato brasileiro e que isso também tem ajudado, porém realça que o “mérito muito mais dos jogadores do que do treinador”.

No início do ano, o antigo jogador de Benfica e FC Porto começou por treinar a Portuguesa, mas a difícil situação financeira que atravessa o clube não permitiu que os resultados aparecessem, e o treinador acabou despedido.

Hoje em dia faz furor no Figueirense e acaba por chamar a atenção de outros clubes brasileiros de nomeada.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.