O Benfica empatou esta noite 1-1 com  o Farense na Luz, na 13.ª jornada da I Liga. Os encarnados marcaram por Rafa, depois de Cláudio Falcão ter dado vantagem aos algarvios.

É o segundo jogo sem vencer dos campeões nacionais na prova. O Benfica chega aos 30 pontos mas pode ser ultrapassado pelo FC Porto e ver o Sporting, líder com 31 pontos, distanciar-se ainda mais.

Veja as melhores imagens da partida

Na receção ao Farense, o Benfica procurava os três pontos que lhe colocassem na liderança provisória, dias antes da deslocação ao terreno do Salzburgo onde vai jogar a continuidade nas provas da UEFA. Depois do empate na ronda anterior no terreno do Moreirense, os campeões nacionais teriam de se aplicar perante o Leão de Faro, fazer uma grande época no ano de regresso à I Liga, como mostra o 8.º posto à entrada para a 13.ª ronda.

Schmidt não foi em poupanças e apenas fez uma mudança, com a entrada de Kokcu para o meio-campo, ele que está de volta após lesão (tinha feito 45 minutos em Moreira de Cónegos).

Acertar no alvo: missão impossível

No primeiro tempo assistiu-se a um festival do desperdício por parte do Benfica, com vários lances de golo não aproveitados.

Logo aos 34 segundos, Di Maria meteu uma bola com olhos para Morato que deu de primeira para João Mário atirar para defesa apertada de Ricardo Velho que ainda cedeu canto.

O Benfica carregava principalmente pelo seu lado direito, com Di Maria, Aursnes e Rafa a cair muitas vezes nesse flanco. Aos 11 minutos, Di Maria fez um fantástico passe de trivela para Rafa na área mas o avançado encarnado desviou para fora.

Rafa era o rosto do desperdício encarnado, para desespero dos milhares de adeptos encarnados na Luz. Três minutos depois da primeira perdida, repetiu a dose, novamente a passe de Di Maria. O argentino brilhava na visão de jogo, o extremo português estrava tudo, como voltou a mostrar aos 26 minutos, em novo lance com Di Maria. Desta vez o argentino descobriu Aursnes, o intermediário da jogada antes de Rafa atirar duas vezes contra Ricardo Velho na pequena área. Incrível!!!

O Farense veio a Luz para jogar, saindo com critério. Matheus Oliveira filtrava no meio e tentava encontrar Marco Matias na esquerda e Belloumi na direita. O filho de Bebeto, antigo campeão do Mundo pelo Brasil, testou Trubin aos 16 minutos, num livre de longe que o ucraniano teve de se aplicar para afastar. Aos 19, novamente Matheus Oliveira, agora de bola corrida, a disparar uma bomba que passou muito perto do poste esquerdo de Trubin. A Luz ia gelando! Antes, Zach Muscat tinha ameaçado num canto mas o seu desvio de cabeça acabou nas mãos de Trubin.

O desperdício encarnado no primeiro tempo não era exclusivo de Rafa. Tengstedt teve o golo nos pés aos 29 minutos após novo passe de Di Maria mas atirou ao lado. Aos 30 é Otamendi a atirar ao poste, após canto de... Di Maria. Zach Muscat aliviou, a bola ainda sobrou para a emenda de Tengstedt que atirou contra um defensor. Ganhou canto.

Com tanta assistência desperdiçada pelos colegas, Di Maria tentou ele resolver a questão do golo mas o seu remate, aos 39 minutos, foi desviado com a ponta dos dedos por Ricardo Velho.

Após o intervalo, esperava-se que o Benfica tivesse calibrado a bússola para o golo mas... puro engano. O festival de desperdício de Rafa parecia não ter fim à vista, para desespero dos adeptos do Benfica. Aos 47, Aursnes lançou Tengstedt, este cruzou atrasado para Rafa, o remate saiu prensado contra Zach Muscat e Pastor antes de Ricardo Velho recolher.

Rafa não podia ser acusado de não tentar. E tentou de todas as formas, até de calcanhar, mas a noite não era dele: minuto 49, centro de Aursnes, toque de classe do internacional português para grande defesa de Ricardo Velho. Mais uma do dono da baliza do Farense.

Falcão mostra como se faz, Rafa acerta finalmente com a baliza

O Farense, que tinha ameaçado principalmente na bola parada, aproveitou um canto aos 51 minutos para gelar a Luz. Pé esquerdo teleguiado de Matheus Oliveira, pequeno desvio de Otamendi e, Cláudio Falcão, sem tirar os pés do chão, desviou de cabeça para o fundo das redes de Trubin.

Aos 64 minutos a Luz acordou para uma monumental assobiadela contra Roger Schmidt, pelas mexidas do técnico do Benfica. O alemão trocou João Neves e Tengstedt por Musa e Gonçalo Guedes, os adeptos não gostaram e mostraram de forma ruidosa o seu desagrado. Alguns adeptos atiraram objetos na direção de Schmidt, para espanto do treinador do Benfica, que olhava para as bancadas.

Depois de tanto desperdício, Rafa acertou finalmente com a baliza, aos 71 minutos. Di Maria (sempre ele) a receber entrelinhas, a rodar e a acelerar antes de deixar no momento certo para Aursnes. O centro do lateral encontrou Rafa na pequena área para um desvio que desta vez encontrou o fundo das redes. Primeira explosão de alegria na Luz.

O Benfica continuou a tentar, na procura da reviravolta. Rafa voltou aos falhanços e desperdiçou o 2-1, aos 75. Aos 76 é Gonçalo Guedes a ficar perto do desvio, não fosse uma grande defesa de Ricardo Velho. No passe, novamente Di Maria, o farol da equipa encarnada.

Os últimos minutos foram de sufoco junto a área de Ricardo Velho, com mais algumas oportunidades desperdiçadas.

É o segundo jogo sem vencer do Benfica na prova. A formação campeã nacional chega aos 30 pontos mas pode ser ultrapassada pelo FC Porto (28 pontos) e ver o Sporting, líder com 31 pontos, distanciar-se ainda mais.

Veja o resumo do encontro

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.