Bernardo Silva afirmou que cumprimentaria Jorge Jesus se o visse e se cruzasse com ele, mas garante que não é um treinador que o tenha marcador na sua carreira. Em entrevista ao jornal A Bola, o médio do Manchester City voltou atrás no tempo até à altura em que representava o Benfica e revelou que já tinha ideia de que não entraria nos planos do técnico que, na altura, orientava o clube da Luz

“[Jorge Jesus] foi um treinador que tive durante cerca de um mês em 15 anos de carreira. Se o vir cumprimento-o obviamente. Não posso dizer que é uma pessoa especial para mim porque não o foi. Percebi que não fazia parte dos planos, treinava fora da posição, ia voltar para a equipa B”.

Durante a sua passagem pelo Benfica, Bernardo Silva era visto por Jorge Jesus como uma potencial adaptação a defesa esquerdo à semelhança do que o treinador português vez com Fábio Coentrão. A experiência não correu bem e Bernardo Silva acabou por sair para o Mónaco, mas admite, entre risos, que pode ter ficado um defesa esquerdo por formar.

“Talvez….[Se tenha perdido um bom defesa esquerdo] Foi um mês de treinos, com mais alguns meses talvez hoje fosse defesa esquerdo. Na altura o Eliseu ainda não tinha chegado, apresentou-se mais tarde, e o Djavan lesionou-se, faltava um defesa esquerdo. São coisas normais quando um treinador não conta com os jogadores”.

Bernardo Silva deixou o Benfica para assinar pelo Mónaco onde esteve durante três temporadas. Na última, após conquistar o título, acordou a transferência para o Manchester City onde se encontra esta temporada. Com Guardiola ainda não recebeu o estatuto de titular indiscutível, mas tem recebido vários elogios do treinador catalão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.