Bruno de Carvalho dedicou uma parte do seu livro à relação que teve com o José Maria Ricciardi, ex-presidente do Banco Espírito Santo Investimento (BESI) e antigo candidato à presidência do Sporting nas últimas eleições ganhas por Frederico Varandas.

Em mais um excerto do livro, 'Sem Filtro - As histórias dos Bastidores da Minha Presidência', publicado esta quinta-feira pela revista 'Visão', Bruno de Carvalho garante que Ricciardi "não teve qualquer influência na reestruturação" do Sporting e que chegou mesmo a mostrar arrependimento por não ter apoiado o ex-presidente desde o início num episódio caricato.

"[Ricciardi] não teve qualquer influência na reestruturação [que o Sporting alcançou com a banca]. Esteve em algumas reuniões, a meu pedido, mas manifestou sempre grande desconhecimento dos assuntos que estávamos a debater", pode ler-se no excerto do livro de Bruno de Carvalho

"A ideia de ter ajudado o Sporting nesses assuntos não é real, embora ele nunca tenha mostrado problema algum em ficar com esse rótulo", acrescentou Bruno de Carvalho para depois revelar que foi Joaquim Góis, administrador do BES, a trabalhar com o Sporting na reestruturação.

"[Ricciardi] Era uma das pessoas que queriam que caíssemos pouco tempo depois de termos tomado posse. Não tenho dúvidas de que, mesmo depois de alcançarmos a reestruturação, ele não era muito favorável. Passados uns meses, porém, parecia ter mudado de opinião e confessava estava rendido ao nosso trabalho", frisou Bruno de Carvalho sobre Ricciardi para depois revelar um episódio caricato com o ex-banqueiro.

"Vivi uma história bizarra com ele. Estávamos a sala da direção em Alvalade, com a porta aberta, a falar normalmente. De repente põe-se de joelhos à minha frente e agarra-me as pernas. 'Perdoe-me, perdoe-me. Estava tão enganado ao longo destes últimos 20 anos. Cometemos tantos erros. Obrigado por tudo o que está a fazer pelo Sporting'", terá dito Ricciardi. "Fiquei atónito com aquela reação: 'Oh homem, está tudo perdoado, mas por favor, levante-se do chão. Passa aqui alguém, veem-no de joelhos e ainda ficam a pensar outra coisa. Largue-me as pernas por favor.' E ele lá se levantou e parou com aquela figura."

"Quem é que imagina um homem como Ricciardi, de joelhos, a pedir desculpa? Mas é uma realidade, venha ele desmentir ou não", prossegue Bruno de Carvalho no texto.

Bruno de Carvalho garante ainda que Ricciardi lhe virou as costas a partir do momento em que se recusou a renovar com Jorge Jesus.

"A verdade é que ele [Ricciardi] e o Jorge [Jesus] passavam muito tempo juntos. Em muitos almoços. Eram amigos", garante Bruno de Carvalho para depois recordar que os problemas com Ricciardi atingiram o pico na mesma altura qem que o ex-presidente do Sporting e a mulher passavam muito tempo no hospital, devido à gravidez de risco de Joana Ornelas.

"Num desses dias fui brindado com umas declarações de Ricciardi à comunicação social, em que me lançou fortes ataques, dizendo que eu deveria abandonar a presidência do Sporting. Este era o mesmo homem que se tinha ajoelhado tempos antes perante mim. O mesmo homem que me fazia rasgados elogios."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.