05O FC Porto sagrou-se campeão da época 2017/2018 depois de um percurso pautado pela regularidade exibicional da equipa comandada por Sérgio Conceição. Depois de quatro anos sem conquistar títulos, os 'dragões' foram obrigados a mudar de 'estratégia' na política de contratações com um plantel curto e constituído maioritariamente por vários jogadores que tinham sido emprestados na temporada passada.

Sem contratações sonantes para atacar o título de campeão, Sérgio Conceição teve um papel determinante em reabilitar vários jogadores que não faziam parte das opções do seu antecessor no comando técnico do FC Porto, e que acabaram mesmo por se tornar peças fundamentais na conquista do 28º título de campeão dos portistas.

Alex Telles - Velocidade no corredor esquerdo e (muitas) assistências para golo

Alex Telles em ação ao serviço do FC Porto diante do Desportivo das Aves
Alex Telles em ação ao serviço do FC Porto diante do Desportivo das Aves. créditos: MIGUEL RIOPA / AFP

Com um total de 12 (?) assistências no campeonato nacional e mais três na Taça de Portugal, Alex Telles foi um dos titulares indiscutíveis de Sérgio Conceição ao longo da temporada com um total de 630 minutos na Liga dos Campeões e quase totalista nos jogos da I Liga, saindo mais cedo apenas no encontro contra o Estoril-Praia devido a lesão (58' minutos) e contra o Rio Ave (74' minutos) quando os 'dragões' já venciam por 4-0.

Rápido e agressivo, Alex Telles fez vários 'estragos' cada vez que subiu no terreno para além de ajudar a equipa nos processos defensivos. O número 13 dos 'dragões' foi também determinante no elevado índice de golos marcados pela equipa de Sérgio Conceição com um total de 12 assistências.

Felipe - Sentido posicional, golos e domínio nas alturas

Felipe em ação num jogo do FC Porto frente ao Rio Ave
Felipe em ação num jogo do FC Porto frente ao Rio Ave. créditos: FRANCISCO LEONG / AFP

Contratado em 2016 ao Corinthians, Felipe rapidamente conseguiu afirmar-se no centro da defesa portista nos últimos anos fazendo com Marcano uma das melhores duplas de centrais do campeonato nacional.

Líder nato nas manobras defensivas da equipa do FC Porto, o central brasileiro foi um dos titulares indiscutíveis de Sérgio Conceição na conquista do título de campeão nacional com um total de () jogos a titular e três golos apontados. À 16ª jornada marcou um golo decisivo no triunfo dos portistas sobre o Feirense, mas acabaria por ser expulso por acumulação de cartões amarelos.

Com um sentido posicional acima da média, Felipe foi também uma garantia no sector defensivo do FC Porto na disputa das bolas paradas onde se mostrou dominador, e que permitiu à equipa de Sérgio Conceição sofrer poucos golos.

Ricardo Pereira - De jovem promessa 'emigrante' a confirmação no 'Dragão'

Ricardo Pereira disputa uma bola com Franco Cervi no 'clássico' entre FC Porto e Benfica
Ricardo Pereira disputa uma bola com Franco Cervi no 'clássico' entre FC Porto e Benfica. créditos: MIGUEL RIOPA / AFP

Contratado ao Vitória de Guimarães em 2013, Ricardo Pereira teve algumas dificuldades para assegurar um lugar na equipa do FC Porto e acabou por ser emprestado ao Nice nas últimas duas épocas onde foi considerado um dos melhores laterais direitos do campeonato francês.

Esta época regressou ao 'Dragão' com mais experiência e minutos de jogo, e com Sérgio Conceição conseguiu finalmente assumir-se como titular na equipa do FC Porto relegando para o banco de suplentes o 'veterano' Maxi Pereira.

Com um total de (26) jogos no campeonato nacional, Ricardo Pereira foi também opção recorrente de Sérgio Conceição nas várias competições que o FC Porto disputou, nomeadamente na Liga dos Campeões onde fez 7 jogos, na Taça de Portugal, e na Taça da Liga.

Jogador versátil, que tanto sabe defender como atacar, Ricardo Pereira incutiu velocidade e agressividade no corredor direito, onde fez com Marega uma dupla temível para os adversários.

Herrera - O 'operário' mexicano que silenciou a Luz e praticamente decidiu o campeonato

Herrera celebra o golo marcado no estádio da Luz
EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Há golos que por vezes decidem campeonatos e o remate de Herrera, em cima do minuto 90, frente ao Benfica, em pleno Estádio da Luz, foi um dos momentos mais determinantes para a conquista do título do FC Porto.

Com um total de (28) jogos a titular esta época no campeonato nacional, Hector Herrera reforçou o seu estatuto de capitão de equipa pela entrega e determinação que empregou em todos os jogos. Depois de vários períodos intermitentes ao nível exibicional, o internacional mexicano assimilou as ideias de jogo de Sérgio Conceição para se assumir esta época como uma das 'peças-chave' do técnico portista na conquista do título.

Marega - A locomotiva maliana que empurrou o 'Dragão' para os golos

Marega celebra o golo da vitória do FC Porto diante do Marítimo
Marega celebra o golo da vitória do FC Porto diante do Marítimo. créditos: Hélder Santos / AFP

De dispensado por Nuno Espírito Santo a titular indiscutível na equipa do FC Porto de Sérgio Conceição, os números de Moussa Marega esta época 'falam' por si. Com 22 golos em 27 jogos para o campeonato, e quatro assistências, o avançado maliano foi fundamental para a conquista do título de campeão nacional dos portistas.

Detentor de uma potência física fora do comum no futebol português, o avançado maliano chegou a ser comparado pelos adeptos portistas a uma 'locomotiva' pela forma como levava 'tudo à frente' pelo corredor direito. Sem medo para encarar qualquer adversário, Marega fez também muitos golos e ajudou os companheiros de equipa a 'facturar'.

Brahimi - O 'mago' argelino que deu o 'toque' de magia a um 'Dragão' de combate

Yacine Brahimi celebra um golo do FC Porto diante do Sporting
Yacine Brahimi celebra um golo do FC Porto diante do Sporting. créditos: MIGUEL RIOPA / AFP

Comparado por muitos adeptos portistas a um 'mago' pela forma como faz 'magia' com os pés, os dribles e a variação de velocidade de Yacine Brahimi esta época conseguiram ganhar outra expressão através de uma maior regularidade ao contrário de outros anos.

Titular indiscutível de Sérgio Conceição esta temporada, Brahimi fez um total de 31 jogos no campeonato nacional e apontou um total de 8 golos, mais 8 assistências. O técnico portista conseguiu devolver a confiança ao internacional argelino e as boas exibições de Brahimi ao longo da temporada foram uma constante, incutindo um toque de magia a uma equipa caracterizada pelo domínio total do adversário.

Aboubakar - Um 'gatilho' de força e potência na área adversária

Sporting CP vs FC Porto
Aboubakar passa por Patrício mas remata ao lado @JOSÉ SENA GOULÃO/ LUSA créditos: © 2018 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Tal como Marega e Ricardo Pereira, Vicent Aboubakar foi um dos jogadores que regressou esta época ao 'Dragão' depois de não fazer parte das escolhas do antecessor de Sérgio Conceição. O técnico portista conseguiu à imagem do que fez com Brahimi reabilitar a confiança do avançado camaronês e os golos sucederam-se.

Na Liga dos Campeões, Aboubakar foi sinónimo de eficácia com cinco golos em seis jogos, e no campeonato português foi também determinante no bom arranque da formação comandada por Sérgio Conceição com 15 golos em 27 jogos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.