Para além de entradas, a pré-temporada serve também para os treinadores analisarem o plantel e perceberem quais os jogadores que não contam e para os quais tem de se encontrar uma solução para a nova época.
No caso dos três grandes a situação tem outra dimensão; FC Porto, Benfica e Sporting têm uma lista de jogadores no mercado para colocar.

FC Porto

Shoya Nakajima é dos casos mais completos, mormente devido ao valor pago pelos dragões pelo nipónico (12 milhões por metade do passe) no Verão de 2019. Depois de uma primeira temporada com algum destaque, Nakajima rumou por empréstimo aos Emirados Árabes Unidos; na época seguinte repetiu-se novo empréstimo, desta vez com o regresso ao Portimonense onde esteve em boa forma. Está previsto o regresso do japonês no final de Julho, por forma a discutir o seu futuro com a SAD azul e branca.

Mamadou Loum é outro caso por resolver. Contratado ao Sporting de Braga em 2018, o senegalês nunca conseguiu afirmar-se no Dragão, tendo sido emprestado, ou a jogar pela equipa B azul e branca. O médio tem sido apontado a Inglaterra, mais propriamente ao Reading, tendo já sido elogiado por pelo treinador dos 'Royals', Paul Ince.

Contratado em 2020/21, Carraça realizou apenas três jogos pela equipa principal dos dragões. O lateral este emprestado à BSad na última época onde realizou 29 jogos. É de esperar nova cedência esta temporada.

Do Santa Clara chegou Fernando Andrade no mercado de Inverno de 2018/2019, tendo disputado 22 jogos pelos dragões. Nas duas épocas seguintes o avançado brasileiro esteve na Turquia ao serviço do Sivasspor e Rizespor. Na última época Fernando Andrade esteve na Arábia Saudita, tendo regressado ainda a tempo de se sagrar campeão nacional pela equipa principal. O brasileiro está a entrar no último ano de contrato, por isso a saída deverá ser o cenário provável.

Produto da formação portista, Romário Baró chegou à equipa principal em 2019/2020, tendo vindo a alternar entre o plantel principal e a equipa B. Na época passada o médio esteve emprestado ao Estoril, onde realizou apenas 17 jogos. Nova cedência estará no horizonte do centrocampista para esta época.

Ivan Marcano chegou a ser um dos indiscutíveis dos dragões, todavia uma grave lesão afastou o espanhol da equipa durante muito tempo. Com 35 anos e a entrar no último ano de contrato, levanta-se a dúvida sobre a permanência do central, isto apesar da vontade do jogador de continuar de dragão ao peito.

Finalmente Tomás Esteves. O jovem lateral esteve em Inglaterra ao serviço do Reading em 2020/21, e na equipa B em 2021/22. Ainda com uma boa margem de progressão, é de esperar que Tomás Esteves seja cedido para poder continuar a evoluir. Notícias avançam que o Pisa da Serie A italiana será o próximo destino do defesa lateral.

Sporting

Islam Slimani é o caso que mais salta à vista no Sporting. Contratado o mercado de Inverno da época passada, o argelino regressou ao Sporting, tendo começado de forma positiva com alguns golos. Contudo, um desentendimento com Rúben Amorim levou o ponta-de-lança a ser afastado, sendo carta fora do baralho para a nova temporada. Rumores apontam Slimani a um regresso a França.

Apesar de ainda ter 24 anos, Jovane Cabral conta já com 97 jogos na formação principal do Sporting. A preponderância do avançado foi esvanecendo com o avançar das épocas, culminando com o empréstimo à Lazio na segunda metade da temporada passada. Depois de uma experiência pouco positiva em Roma, é de esperar novo empréstimo...ou mesmo a venda. Clubes da Turquia e Grécia parecem estar interessados no avançado cabo-verdiano.

Tal como o FC Porto, também o Sporting tem um caso cujos valores envolvidos dão maior complexidade à situação. Neste caso falamos de Rúben Vinagre; o Sporting pagou 10 milhões de euros por metade do passe, valor correspondente à cláusula de compra obrigatória do lateral. O jovem de 23 anos teve muitas dificuldades em encaixar no estilo de jogo de Rúben Amorim, estando agora na lista de cedências dos leões. Ao que tudo indica, Rúben Vinagre deverá regressar a Inglaterra esta temporada.

O caso de Rodrigo Battaglia é simples de explicar. Desde a chegada de Rúben Amorim, o argentino nunca fez parte dos planos do técnico. A entrar no último ano de contrato, e depois de vários empréstimos, a rescisão de contrato será o cenário mais provável.

Já Andraz Sporar esteve perto de não ser excedentário. Emprestado ao Middlesbrough na época passada, o clube inglês tinha uma cláusula de compra obrigatória do avançado, caso a equipa conseguisse a subida à Premier League, algo que o 'Boro' esteve quase a conseguir. De regresso a Alvalade, o esloveno não entra nas contas de Amorim e tem mercado em Inglaterra e Sérvia.

O jovem Eduardo Quaresma chegou a ser peça integrante do Sporting de Rúben Amorim nos primeiros meses. Infelizmente uma lesão afastou o central, acabando por ser ultrapassado por Gonçalo Inácio. Sem espaço no plantel, Quaresma esteve emprestado ao Tondela na última época; o cenário da cedência deverá repetir-se neste defeso.

Com contrato até 2024 estão Idrissa Doumbia e Eduardo Henrique. Os médios nunca fizeram parte do plantel às ordens de Rúben Amorim, sendo assim necessário encontrar solução para ambos os jogadores por forma a aliviar a folha salarial dos leões.

Benfica

André Almeida é uma das figuras incontornáveis do Benfica dos últimos anos. O lateral direito encarnado sofreu uma grave lesão na última época que o afastou da equipa praticamente o ano inteiro. Agora de regresso, André Almeida tem concorrência a concorrência de Gilberto e Alexander Bah. Com 31 anos, o português entra no último ano de contrato, cenário que coloca um ponto de interrogação no futuro do defesa e capitão de equipa do Benfica.

O percurso de Adel Taraabt no Benfica tem sido feito de altos e baixos. Depois de chegar e simplesmente não jogar, o marroquino começou a ser aproveitado, chegando mesmo à titularidade com Jorge Jesus. A era de Roger Schmidt parece ter posto ponto final a esse estatuto e o médio está treinar-se com a equipa B das águias. O facto de estar no último ano de contrato poderá facilitar a saída.

Situação idêntica vive Gabriel. O médio brasileiro chegou em 2018/19, tendo sido jogador fundamental na equipa ao longo de três temporadas. Na época passada o centrocampista esteve no Qatar e não parece ser opção para Roger Schmidt este ano. A situação do jogador ter-se-á agravado nos últimos dias quando este faltou aos treinos da equipa B para onde tinha sido destacado.

Mais delicado é o caso de Soualiho Meité. O médio defensivo chegou na época passada oriundo do Torino, por sete milhões de euros. A sua primeira época de águia ao peito foi muito intermitente em termos exibicionais, razão para colocar o francês próximo da saída da Luz, tem a palavra Roger Schmidt.

Outro ponto de interrogação é Rodrigo Pinho. O avançado brasileiro chegou do Marítimo na época passada mas uma grave lesão atrasou em muito a adaptação do jogador ao Benfica; Rodrigo Pinho fez apenas três partidas oficiais pelas águias.

Para além disso, há ainda a muita concorrência no ataque encarnado. Nomes como os de Yaremchuk, Gonçalo Ramos ou mesmo Petar Musa podem empurrar o brasileiro para longe da Luz. O brasileiro tem mercado, especialmente na Primeira Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.