Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, reagiu esta terça-feira aos casos de indisciplina de Uribe, Luis Díaz, Saravia e Marchesín, garantindo que os mesmos serão tratados internamente.

O diretor portista sublinha ainda que a atitude dos quatro jogadores sul-americanos na noite da passada sexta-feira "tem de ter consequências", mas que no clube azul e branco "não existe pena de morte".

"Estamos a falar de um tema interno, que será resolvido internamente, como tem que ser. Não tem de ser na praça pública. Os jogadores têm a consciência que uma coisa destas tem que ter consequências, mas também que no FC Porto não existe pena de morte. Haverá decisões internas e ficarão dentro da família do FC Porto", referiu o diretor de comunicação dos portistas no programa Universo Porto da Bancada.

Na última sexta-feira, Matheus Uribe, Renzo Saravia, Marchesín e Luis Díaz festejaram noite dentro o aniversário da esposa de Uribe, Cindy Álvarez Garcia. O sucedido levou ao afastamento do quarteto de jogadores do dérbi contra o Boavista, que o FC Porto venceu no domingo, por 1-0.

Francisco J. Marques desvalorizou as imagens publicadas nas redes sociais da noitada: "O mundo está diferente com as redes sociais e a profusão quase instantânea, mas há coisas que não mudam, que é a forma como o FC Porto trata destes assuntos."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.