Luís Castro foi hoje apresentado como novo treinador do Rio Ave, da I Liga de futebol, traçando como objetivo levar a equipa vila-condense "aos oito primeiros lugares da classificação".

O técnico, de 55 anos, que nas últimas quatro época orientou o FC Porto B, substituiu Nuno Capucho no comando da formação da foz do Ave, tendo assinado um contrato válido até ao final da temporada.

"Gostaria muito de ser campeão nacional, mas dada a pontuação e diferença de investimento nas equipas, creio que não vamos conseguir. Mas se andarmos nos oito primeiros lugares gostaria muito que isso pudesse acontecer", afirmou.

Luís Castro considerou que o seu ciclo no FC Porto tinha chegado ao fim, mostrando-se satisfeito com aquilo que conseguiu ao serviço da estrutura dos ‘azuis e brancos".

"Era hora. Quando vejo que lançamos jogadores para a equipa A, conseguimos o título da II Liga, distinguido com o Dragão de Ouro, penso que a minha obra no FC Porto estava feita. Era a hora de amarrar uma outra oportunidade que felizmente surgiu", vincou.

Confrontado com o facto de o seu contrato ser apenas até ao final da temporada, o treinador respondeu de forma pragmática.

"Fui eu que propus e foi aceite pelo Rio Ave. Nunca gostei de estar a mais em casa alguma e se no final houver condições a direção, os sócios e a cidade sentirem que está aqui o homem certo iremos conversar", disse o treinador.

"Caso contrário, terminamos e seguimos o nosso caminho. Há muitos treinadores para o Rio Ave e muitas equipas para o Luís Castro continuar a trabalhar", afirmou o novo timoneiro dos vila-condenses.

Já António Silva Campos, presidente do Rio Ave, considerou que Luís Castro se enquadra no perfil que o clube procurava após a saída de Nuno Capucho.

"É um homem que já conheço há algum tempo, um treinador experiente, habituado a uma estrutura profissional, conhecedor do futebol, ambicioso e com provas dadas. Enquadra-se no perfil que desejávamos. Espero que seja feliz no Rio Ave e que concretize um dos seus sonhos de se afirmar no futebol português", afirmou o dirigente.

O presidente do Rio Ave considerou que ao anterior treinador da equipa, Nuno Capucho, contratado no início da época, "faltou alguma sorte e experiência".

"Não é meu costume mudar de treinador e não levar até ao fim os contratos. Devo ser dos poucos presidentes que esteve quase 400 jogos em que não aconteceu a ‘chicotada psicológica'. Fiquei triste, mas temos de encarar com coragem as nossas decisões", sublinhou António Silva Campos.

O presidente acompanhou hoje o primeiro treino de Luís Castro no comando da formação de Vila do Conde, que segue no 11.º lugar da I Liga de futebol, com 11 pontos, e que não vence no campeonato há cinco jornadas.

Luís Castro terá como adjunto Vítor Severino, que vem igualmente da estrutura do FC Porto, continuando com os contributos de Augusto Gama, Nuno Baptista e César Gomes, que transitam da anterior equipa técnica.

A estreia oficial do novo treinador do Rio Ave irá acontecer a 25 de novembro, na partida frente ao Vitória de Setúbal, da 12.ª jornada da I Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.