Pepe, treinador do Paços de Ferreira, analisou na sala de imprensa o embate frente ao Sporting (2-0).

Resultado foi justo?

"Falar de justiça vale o que vale. O jogo é golos. Não vale a pena estar a falar de justiça ou de injustiça. Uma exibição positiva, a procurar o golo e onde tivemos uma boa dinâmica,. Não alterámos a nossa estrutura. Faltou agressividade e critério no último terço. Muito orgulho pelo que fizemos, vamos estar mais próximo da vitória."

Agora vai atrás do Benfica no quarto?

"O nosso foco é o jogo a jogo. Olharmos para nós, valorizar o jogo, o Paços de Ferreira e os seus jogadores. O nosso foco é esse. Em muitos momentos tivemos mais bola, mas faltou-nos os golos."

É dos bons valores na Liga?

"A experiência e a competência não têm idade. Isso há nas distritais e camadas jovens, há é que aproveitar as oportunidades. Há que saber estar e isto dá muitas voltas. Temos que saber perder e ganhar. Nós perdemos. Foram felizes no penalti e numa bola parada. Contra nós é que o Palhinha é que se lembra de marcar golos. Mais do que as oportunidades é o que a equipa fez. Valorizámos o futebol português. Dos três jogos que fizemos com o Sporting foi o nosso melhor jogo. Conseguimos encontrar ruído na zona do Palhinha e o João Mário. Fomos fantásticos, é este o caminho, há que dar mérito. O lance do penalti por pouco não está fora de jogo. Não nos amarrou nada. Vínhamos amarrados a uma ideia de jogo. Dentro do jogo."

É juntamente com Rúben Amorim um dos melhores da Liga?

"Se tivéssemos aqui 18 Jurgen Klops ou 18 José Mourinhos, só um é que vencia. Temos tendência para dar atenção a quem ganha apenas. Acho injusto, há muito bons trabalhos na Liga. Tenho prazer enorme a ver estes jogadores a jogar."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.