O Benfica foi esta noite a casa do Vitória de Setúbal impor uma pesada goleada por 0-5, no jogo que abriu a quarta jornada da Liga. Um triunfo inequívoco do campeão nacional, no qual brilhou o jovem brasileiro Talisca, autor de um surpreendente hat-trick, e que apresentou aos adeptos encarnados o grego Samaris - excelente atuação do médio - e o jovem italiano Cristante.

O Vitória de Setúbal, pela voz do seu treinador Domingos Paciência, prometia uma forte réplica aos encarnados, mas o discurso nunca chegou aos seus jogadores no relvado. Os sadinos foram demasiado 'macios' para um Benfica pragmático, prático e tremendamente eficaz.

Jorge Jesus não pode lançar Júlio César para a baliza e assim voltou a figurar Artur entre as redes encarnadas. No entanto, o grego Samaris apareceu já entre os titulares e assinou uma exibição que não deixa dúvidas da sua qualidade. Segurança, concentração e boa técnica foram os argumentos do médio helénico no Bonfim, deixando um ótimo cartão de visita no meio campo encarnado.

Já no ataque, Salvio, Gaitán e Talisca apareciam no apoio a Lima. Não foi o avançado a brilhar, mas, sim, os seus 'escudeiros'. Primeiro foi Salvio, logo aos 10', com um excelente remate em arco, de pé esquerdo, de fora da área, batendo sem hipóteses o guardião sadino Raeder. Estava feito o 0-1 no Bonfim, quando as duas equipas ainda procuravam adaptar-se uma à outra.

O V. Setúbal tentou então reagir e chegou a gritar-se golo nas bancadas do Bonfim, mas o lance de Giovani, aos 19', foi invalidado por pretenso fora de jogo. No entanto, o jogador sadino estava em linha, consumando uma má decisão do árbitro auxiliar de João Capela.

Porém, esse único lance foi o melhor que o Vitória conseguiu no jogo, apagando-se de seguida perante o brilho de Talisca. Aos 38', o médio brasileiro estreou-se a marcar na Liga, aproveitando uma das muitas falhas defensivas dos sadinos nesta noite, com um remate de pé esquerdo já perto da pequena área. Talisca tomou-lhe o gosto e cinco minutos depois repetiu a dose. Chamado à conversão de um livre direto à entrada da área, o brasileiro provou que "quem não arrisca, não Talisca". Estava feito o 0-3 em cima do intervalo e colocava-se antecipadamente um ponto final no rumo do encontro.

O regresso ao relvado para a segunda parte trazia novidades na equipa do Vitória de Setúbal, mas as mexidas de Domingos Paciência nunca se traduziram numa melhoria. Por sua vez, o Benfica mantinha a baliza de Raeder no horizonte e chegava com facilidade e eficácia.

Assim, o jovem baiano reforçou o seu instinto goleador e demorou apenas mais dez minutos para elevar o marcador para 4-0, aos 55', numa recarga certeira já dentro da área sadina a um primeiro remate de Salvio.

Jorge Jesus aproveitou então para gerir a equipa em função do desafio importante de terça-feira com o Zenit São Petersburgo, para a estreia nesta edição da Liga dos Campeões. Saíram Eliseu e Gaitán, entrando André Almeida e Ola John. Pouco depois seria a vez do jovem italiano Cristante jogar também pela primeira vez com a camisola encarnada, entrando para o lugar de Enzo Pérez.

Foi já com estas novidades que o Benfica sentenciou as contas do jogo. Aos 77, o Benfica aumentou a vantagem para 0-5 por intermédio de Ola John. O extremo holandês mostrou-se muito dinâmico e ativo no pouco tempo em campo e foi premiado com o quinto golo dos encarnados, onde só teve de encostar para o golo depois do passe de Lima.

O Benfica provou uma vez mais que se dá bem no Estádio do Bonfim, onde já não perde desde a década de 90 do século passado. O triunfo vale a ascensão provisória à liderança da Liga, com 10 pontos, esperando os desempenhos dos anteriores líderes FC Porto, Vitória de Guimarães e Rio Ave. Já o Vitória de Setúbal teve uma noite para esquecer... e não repetir.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.