Bruno Carvalho, Tony Taylor e Laurindo deram este domingo ao Atlético a prenda do 69.º aniversário do clube, ao marcarem os golos da vitória em casa sobre o Trofense (3-0), na quarta jornada da Liga de Honra de futebol.

Com este triunfo os comandados de João de Deus mantêm a liderança do campeonato, agora com 10 pontos, enquanto o Trofense, com dois, fica com a “lanterna vermelha” entregue pelo Sporting da Covilhã, que hoje venceu o Arouca (1-0).

A derrota do União da Madeira por 1-0 no recinto da Oliveirense, que assim subiu ao segundo lugar, foi outra “prenda” de aniversário para o Atlético, pois a equipa da Tapadinha aumentou de um para três pontos a vantagem sobre o mais direto perseguidor.

Com vontade de festejar, o “capitão” Laurindo foi o primeiro homem a causar perigo a favor da equipa de Alcântara – que joga na Amadora, em terreno emprestado –, respondendo a uma tentativa falhada de Reguila, aos 10 minutos, que rematou ao lado do poste direito da baliza defendida por Caleb.

A jogar em 4x2x3x1, o Trofense controlou a posse de bola no primeiro tempo, mas o Atlético soube ser matreiro e tirar partido disso. Apostou num 4x1x4x1 e lançou “venenosos” contra-ataques.

O golo acabou por surgir aos 28 minutos, com Bruno Carvalho, de cabeça, a introduzir a bola na baliza defendida por Marco, depois de uma série de ressaltos na pequena área do Trofense.

Os pupilos de António Sousa foram à procura do empate, mas, balanceados no ataque, não acautelaram a sua zona defensiva, situação de que Tony Taylor tirou partido em diversas situações, tendo acabado por fazer o 2-0, aos 42 minutos, estreando-se a marcar esta época na Liga de Honra.

O Trofense entrou na segunda parte mais determinado e logo aos 49 minutos colocou à prova os instintos de Caleb, com Zé Manel a rematar à meia volta na zona de grande penalidade, com o guarda-redes norte-americano a defender para canto.

Zé Manel, aos 84 minutos, complicou a vida ao Trofense ao ver o cartão vermelho direto, por palavras ao árbitro, deixando a equipa reduzida a 10 elementos numa altura em que apenas criava perigo em lances de bola parada.

Manietado e sem forças, o Trofense acabaria por sofrer o terceiro golo, por intermédio de Laurindo, aos 90+3 minutos, deixando o treinador António Sousa em posição complicada, uma vez que a equipa caiu agora para o último lugar da Liga de Honra.

“Nós só queremos a nossa Tapadinha” era o cântico que se ia ouvindo nas bancadas do Estádio José Gomes, na Amadora, num claro sinal de que os adeptos do Atlético querem voltar a jogar em casa. As obras de melhoramento do recinto teimam, no entanto, em não começar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.