Jesualdo Ferreira já tinha demonstrando satisfação com o apuramento de Portugal para o Mundial de 2010, e quando confrontado com o facto de terem sido dois jogadores do seu plantel a marcar os golos que deram acesso ao passaporte para a África do Sul, disse que “é sempre um estímulo e orgulho para o FC Porto quando os seus jogadores se encontram nas respectivas selecções, mesmo que isso signifique condicionamentos para o Porto”. “Mas deixo de fora o lado clubista”, acrescentou.

Quanto aos golos de Raul Meireles e Bruno Alves nos dois jogos do "Play-off" contra a Bósnia, Jesualdo afirma que “fizeram dois bons jogos”. “Mas foram jogos que pude ver alguns erros que eles cometeram e já falámos sobre isso aqui”, salientou.

“Quando os jogadores do Porto estão bem eu estou bem. Lembro que o FC Porto é uma janela para os jogadores serem vistos e participarem nas selecções, pois foi só quando começaram a jogar no FC Porto é que foram chamados para as selecções”, disse Jesualdo dando exemplos de Raul Meireles, Bruno Alves, Hulk, entre outros.

O “professor” defendeu, como sempre tem feito, Carlos Queiroz, dizendo que ele tem “um bom emprego mas não um bom cargo porque é o mais fácil de criticar”. Lembrando que “na Selecção Nacional não é em três dias que se preparam os jogadores. O treinador tem de adaptar os jogadores à equipa consoante a contribuição de cada um nos clubes em que jogam”, garantiu.

O técnico dos Dragões fez questão de recordar que já nas outras edições de Europeus e Mundiais Portugal sempre se apurou com algumas dificuldades.

Jesualdo criticou ainda quem falou mal sobre a Selecção Nacional nesta fase de apuramento salientando que Portugal “vai ao Mundial porque foi mais competente”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.