17 de novembro de 2010. Portugal-Espanha, jogo amigável na Luz. O momento da vingança. Pouco tempo depois de ter sido eliminada nos oitavos de final do Mundial da África do Sul, houve duelo ibérico na Luz, num amigável memorável para os lusos, menos para Cristiano Ronaldo. Não que CR7 não tenha gostado de golear a campeã do Mundo e da Europa, aquela seleção que lhe roubou o sonho na África do Sul, nesse jogo decidido com um golo em fora-de-jogo de David Villa. Nesse jogo onde, questionado sobre o que correu mal a Portugal, Cristiano Ronaldo mandou perguntar a Carlos Queiroz, o selecionador da altura. A Espanha com a espinha dorsal do Barcelona, a equipa que impedia Ronaldo de vencer títulos no Real Madrid naquele momento, ia ser colocada na ordem.

Mas nesse novembro de 2010 o ambiente já era outro. Queiroz tinha sido afastado, entrou Paulo Bento na Seleção e na Luz, ao terceiro encontro frente a Espanha, Cristiano Ronaldo tinha finalmente conseguido a sua vingança. Ou teria, não fosse Nani.

Ainda com o jogo sem golos, Carlos Martins lançou o avançado pela direita. Cristiano Ronaldo colou a bola no pé direito, correu para a área em velocidade. Piquè veio disparado para o corte, de carrinho. Ronaldo esperou pelo momento certo, 'sentou-o' numa poltrona VIP. Veio depois Xabi Alonso em socorro do central. Também ele ficou a ver navios: Ronaldo simulou rematar e depois encenou o seu melhor golo na seleção e um dos melhores da carreira. À saída de Iker Casillas, picou a bola com conta, peso e medida, fazendo-a passar por cima do gigante guardião espanhol e de Puyol. Um golaço! Ou quase.

Quando CR7 já preparava festa rija com aquela maldade exatamente frente a melhor seleção do Mundo, aquele momento de inspiração contra o país onde jogava, apareceu Nani para lhe estragar a pintura. Um Nani que achou que devia dar o toque final onde não se exigia toque algum. O quadro perfeito, 'lavado com a lixivia' do fora de jogo. Era desnecessário, Nani! Não se faz isso aos amigos.

Correu mundo aquelas imagens de Cristiano Ronaldo, exasperado, irritado, a vociferar sabe-se lá o que. Não se sabe que nomes feios terá chamado Ronaldo ao amigo Nani por aquele toque desnecessário. Os 4-0 caiam para segundo plano. A conversa era em torno da obra de Cristiano Ronaldo que Nani estragou.

Claro que se fosse hoje e o jogo tivesse vídeo-árbitro, todos estariam a celebrar a goleada de Portugal ao campeão do Mundo e da Europa e o melhor golo da carreira de Cristiano Ronaldo na seleção.

O golo foi anulado pelo árbitro francês Antony Gautier (Portugal e os árbitros franceses... Ainda se lembram de Marc Batta naquele Alemanha-Portugal, de 1997? Rui Costa nem deve querer lembrar) mas não devia, por dois motivos: primeiro, Nani não está posição irregular quando toca na bola, já que Piquè estava a coloca-lo em jogo; segundo, quando Nani toca na bola, esta já estava toda dentro da baliza, logo, devia ter contado à mesma. Um problema que o VAR teria resolvido após duas repetições. Se houvesse VAR...

Passados dez anos, é claro que os dois já fizeram as pazes. Nani apressou-se a pedir desculpas, ciente dos estragos provocados no amigo logo  no momento.

"Pensei que não estava em fora-de-jogo. Vinha muito embalado e, na altura, não consegui pensar em parar. Depois vi que não devia ter interferido no lance e já pedi desculpas ao Cristiano Ronaldo por isso", disse Nani, na altura.

Ronaldo à procura do 4.º golo à Espanha

Hoje, em Alvalade, Espanha e Portugal medem forças, novamente num amigável, naquele que é o 40.º encontro entre ambos. Cristiano Ronaldo deverá ser titular, nesse que será o seu sexto jogo frente a 'Nuestros hermanos'.

Seis golos, um hat-trick de Ronaldo, no empate entre Portugal e Espanha
Seis golos, um hat-trick de Ronaldo, no empate entre Portugal e Espanha
Ver artigo

CR7 enfrentou a Espanha pela primeira vez ainda era um 'menino'. No Euro2004, de má memória para Portugal, CR7 foi deixou o relvado aos 85 minutos, dando lugar a Luís Figo. Portugal, orientado por Luiz Felipe Scolari, venceu por 1-0, golo de Nuno Gomes, no dia 20 de junho de 2004, em jogo da fase de grupos do Europeu de futebol.

Seis anos depois, a história mudou, com a Espanha a eliminar Portugal nos 'oitavos' do Mundial2010 e a levantar o troféu, o único até agora. Cr7 ficou em branco, tal como aconteceu no tal amigável do 4-0. Em 2012 voltou a não conseguir marcar ao país onde jogava. Aí foi mais duro: a Espanha eliminou Portugal nas grandes penalidades, nas meias-finais do Euro2012, depois de 0-0 nos 120 minutos, no Donbass Arena, em Donetsk, Ucrânia.

A 'vingança' chegaria no Mundial2018. E aí, rebentou com a 'tampa do ketchup': hat-trick no empate 3-3 com a Espanha, em jogo do Grupo B do Mundial, um deles de livre direto.

Portugal recebe, esta quarta-feira, a Espanha, naquele que será o 40.º confronto num longo historial entre as duas seleções ibéricas, que dura há quase 100 anos. As duas equipas estão a preparar os jogos da fase de grupos da Liga das Nações.

Em 39 duelos (o primeiro está registado em 1921), Portugal tem um registo bastante negativo, com apenas oito triunfos, aos que se juntam 14 empates e 17 derrotas.

O jogo está agendado para as 19h45 e terá arbitragem do italiano Paolo Valeri.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.