Cristiano Ronaldo fez um selfie dentro do seu jato privado, depois de ter estado no tribunal em Madrid, onde foi condenado a pagar 18,8 milhões de euros ao fisco espanhol por quatro crimes de fraude fiscal.

A atitude do internacional português foi muito criticado nas redes sociais, num dia em que um avião privado que transportava o futebolista argentino Emiliano Sala para o País de Gales desapareceu dos radares e ainda não foi encontrado. CR7 foi acusado de não ter sensibilidade, face ao drama da família, amigos e colegas de Emiliano Sala, que ainda não perderam a esperança de encontrar o atacante argentino com vida.

Um dos críticos desta atitude de Ronaldo foi Garay Lineker.

"Não é o dia para um tweet destes, não é de todo", considerou o antigo internacional inglês.

"Que vergonha. Podia publicar uma foto como esta noutro dia qualquer, mas não hoje. Rezem pelo Sala", escreveu um dos internautas.

Esta segunda-feira  a noite, Emiliano Sala, de 28 anos, e um piloto, viajavam de Nantes, na França, para Cardiff, no País de Gales, e ao atravessar o Canal da Mancha as comunicações deixaram de ocorrer e a aeronave desapareceu.

O jogador comunicou-se com amigos e expressou o seu temor em viajar no avião, pois tinha experimentado muita turbulência num outro voo que fizera entre Nantes e Cardiff.

As buscas foram retomadas pelos  serviços de resgate de Guernsey esta quarta-feira.

Perto do final da manhã desta terça-feira em Espanha, Cristiano Ronaldo reconheceu que cometeu quatro crimes fiscais, entre 2010 e 2014, evitando assim o pagamento de 5,7 milhões de euros ao Tesouro espanhol, na altura.

O futebolista português tinha sido condenado a 23 meses e 30 dias de prisão, os quais não cumprirá, mas terá de pagar uma multa de 18,8 milhões de euros por fraude fiscal.

A sentença que condenou Ronaldo como “autor criminalmente responsável” de quatro delitos contra a Fazenda Pública, decretou a substituição das penas de prisão aplicadas por uma multa de 360 mil euros, o que significa uma redução entre 16 e 20 por cento dos pagamentos em falta entre 2011 e 2013, enquanto em 2014 se verifica uma redução de 568.497 euros em relação aos 8,5 milhões de euros denunciados pelo Fisco.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.