Continua a troca de palavras entre Cristiano Ronaldo e Vincenzo Spadafora, ministro italiano dos desportos. Esta quinta-feira, Spadafora admitiu que o português pudesse ter violado o protocolo de COVID-19, ao viajar para Portugal, para representar a seleção, e regressar a Itália, após a deteção da infeção.

"Sim, eu acho que sim, se as autorizações específicas não foram dadas pelas autoridades de saúde", referiu Spadafora, à Radio Uno, dizendo que o avançado luso poderá ter violado o protocolo também quando viajou para Portugal, numa altura em que Juventus estava em isolamento preventivo.

Cristiano Ronaldo respondeu esta sexta-feira, assegurando não ter infringido nenhum protocolo e que teve o cuidado de fazer "as coisas bem, com autorizações", salientando que se sente bem e assintomático, apesar do teste positivo ao novo coronavírus.

Num direto que fez nas suas redes sociais, Ronaldo sublinhou que não infringiu qualquer lei.

"Isso é tudo mentira, fiz as coisas todas bem. Falei com a minha equipa, tivemos o cuidado de fazermos as coisas bem. Principalmente, para o senhor italiano, cujo nome eu não vou dizer, é mentira, cumpri todos os protocolos", disse o jogador da Juventus.

Ora esta reação de Cristiano Ronaldo já teve resposta de Vincenzo Spadafora, ministro italiano dos desportos. Spadafora acusa o jogador português da Juventus de ser arrogante, de ter faltado ao respeito e de ter mentido.

"As qualidades de um certo jogador não lhe dão autorização para ser arrogante e desrespeituoso para com as instituições e para mentir. Além disso, quanto mais és conhecido mais responsabilidade tens, por isso deves pensar antes de falar para dar o exemplo", começou por dizer.

"Não tenho intenção de continuar a falar sobre isto. Confirmo o que disse ontem relativamente ao abandono do hotel por parte de alguns jogadores da Juventus, isto baseado nas comunicações do clube com as autoridades de saúde de Turim. Não terei mais intervenção neste tema e reforço os meus desejos de que todos os que testem positivo tenham uma rápida recuperação", explicou o governante à agência ANSA.

Já na quarta-feira, a campeã italiana deu conta que Cristiano Ronaldo “regressou a Itália num voo médico autorizado pelas autoridades sanitárias competentes, a pedido do jogador, e continuará o seu isolamento em casa”.

O capitão da seleção portuguesa estava desde terça-feira em isolamento na Cidade do Futebol, em Oeiras, depois de ter testado positivo ao novo coronavírus.

Ronaldo estava no estágio da seleção portuguesa, depois de ter defrontado a Espanha (0-0), em jogo particular, em 07 de outubro, em Lisboa, e a França (0-0), no domingo, em Saint-Denis, para a Liga das Nações, tendo sido dispensado do encontro diante da Suécia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.