O Sporting conquistou, este sábado, pela primeira vez a Taça da Liga ao bater o Vitória de Setúbal nas grandes penalidades (5-4), depois de o jogo ter terminado empatado (1-1) no tempo regulamentar, numa final disputada em Braga. Gonçalo Paciência marcou logo aos quatro minutos e Bas Dost empatou na conversão de uma grande penalidade já nos últimos dez minutos. O vencedor teve de ser encontrado no desempate por penaltis e aqui os Leões foram mais fortes, substituindo assim o Moreirense na galeria de vencedores, depois de duas finais perdidas (2008 e 2009).

Quanto ao onze inicial, Jorge Jesus lançou Fredy Montero no apoio a Bas Dost. O colombiano estreou-se como titular nesta segunda passagem na equipa de Alvalade. Em sentido inverso, Acuña foi para o banco de suplentes, enquanto Rúben Ribeiro assumiu a posição do lesionado Gelson Martins.

Numa primeira parte em que o Vitória de Setúbal dominou, aos quatro minutos, depois de um primeiro corte de Fábio Coentrão, Coates não atacou a bola e Paciência ganhou no corpo a corpo, com o avançado português a rodopiar e a atirar rasteiro para o fundo da baliza de Rui Patrício, inaugurando o marcador.

O Sporting mostrou-se desconcentrado nos minutos seguintes e os sadinos foram aproveitando para ir deixando avisos ao guarda-redes leonino. Perto da meia hora de jogo, os jogadores do clube de Alvalade protestaram quando Rúben Ribeiro caiu na área no duelo com Nuno Pinto, mas Rui Costa entendeu que não houve nada e mandou seguir.

No segundo tempo, o ritmo desenrolou-se a um nível mais lento (faltoso), mas houve um Sporting mais destemido, que procurou o golo do empate a todo custo e este chegou por intermédio de grande penalidade.

Aos 75 minutos, o guarda-redes sadino evitou por três vezes o golo do Sporting, mas os Leões ficaram a pedir penálti por mão de Podstawski, que ajudou Trigueira na última defesa. O árbitro Rui Costa pediu auxílio do vídeo-árbitro mas, ainda assim, decidiu ele mesmo visionar as imagens, acabando por assinalar grande penalidade favorável ao Sporting. Bas Dost converteu com sucesso num remate em que a bola foi para um lado e o guarda-redes para o outro.

Nas grandes penalidades, o Sporting foi mais forte e acertou mais vezes à baliza de Trigueira, tendo William Carvalho anotado o pontapé decisivo, depois de Podstawski ter sido o único jogador a falhar a sua grande penalidade.

Dez anos depois, o Sporting vinga-se da final perdida em 2008 ao Vitória de Setúbal e levanta a Taça da Liga pela primeira vez, depois de duas finais perdidas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.