O Benfica goleou o Estrela da Amadora por 4-0 e seguiu para os quartos de final da Taça de Portugal.

O finalista vencido da Taça de Portugal na época passada voltava a encontrar-se com um dos históricos do futebol português, 12 anos depois do último embate entre ambas as equipas.

Veja o resumo da partida

O Benfica chegava a este encontro depois de um triunfo em casa frente ao Tondela por 2-0, no jogo que antecedia o clássico da próxima sexta-feira frente ao FC Porto. O Estrela da Amadora, líder da Série G, chegava ao encontro frente aos encarnados sem ter somado ainda qualquer derrota no Campeonato de Portugal, tendo empatado na última jornada frente a Rabo de Peixe.

Em relação ao onze encarnado e tal como se previa, Jorge Jesus mudou praticamente toda a equipa em relação ao último embate frente ao Tondela. Do onze escalado, Tolibo esse foi estreia absoluta com a camisola do Benfica e deu boa conta de si.

Este duelo também era especial para um homem em particular: Jorge Jesus. Treinou a equipa da Amadora em duas ocasiões (98/99, 99/00 e mais tarde entre 2001 e 2003).

Era um encontro de David contra Golias e o que é certo é que o Estrela conseguiu dar uma boa réplica perante o gigante de Lisboa. E foi mesmo a equipa da Amadora a primeira a conseguir criar perigo. Sérgio Conceição, - sim mas o do Estrela -, começou por criar frisson, depois de um desvio subtil à saída de Helton Leite.

Muito pressionante e com uma equipa robusta fisicamente, o Estrela impediu o Benfica de colocar em prática o seu jogo coletivo durante a primeira parte. Pedrinho foi um dos mais inconformados, criando perigo com um pontapé de trivela ao minuto 21´, que saiu ao lado da baliza.

À passagem da meia hora, outra vez Conceição tentou descobrir 'Yuran' na área, mas o lance acabou por se perder. O primeiro lance com cabeça, corpo e membros do lado das águias surgiu numa finalização de pé direito de Seferovic, após matar no peito e rematar para as mãos do guardião Filipe Leão. Num jogo de parada e resposta, o Estrela colocava o Benfica em sentido, com Murillo a rematar para as mãos de Hélton Leite, depois de um corte incompleto de Jardel.

O golo dos encarnados surgiu já perto do intervalo. Depois de uma defesa de Filipe Leão após tentativa de Seferovic, Chiquinho na recarga inaugurou o marcador (42´).

No segundo tempo, o Benfica transfigurou-se e o coletivo apareceu. Jesus resgatou os pesos pesados que fizeram a equipa descansar na Amadora.

Os soldados do Estrela começaram a ceder na linha da frente e os encarnados apontaram mais três golos no segundo tempo. Zé Pedro tentou adiar o inevitável, com um corte milagroso, ao impedir o golo de Seferovic depois de oferenda de classe de Gonçalo Ramos.

O golo surgiu um minuto volvido, com o suíço a compensar a falta de eficácia no lance anterior. Desta feita foi Diogo Gonçalves a assistir, com Seferovic a ter apenas que encostar.

Sem nada a perder, a equipa do Campeonato de Portugal ainda conseguiu ferir o gigante. Livre de Sérgio Conceição para a área, e Zé Pedro deixou para o desvio vitorioso de Latón. Contudo, para tristeza da equipa da linha de Sintra, o lance acabou por ser anulado por fora de jogo.

Com o golo na mente, os comandados de Rui Santos abriram espaços lá atrás e o Benfica matou nas transições. Chiquinho bisou depois de um passe adocicado de Chiquinho. Waldchimidt fechou as contas num pontapé cruzado depois de nova assistência de Pedrinho.

Até final, Ferreyra já perto do fim ainda teve a oportunidade de faturar, mas Filipe Leão adivinhou as intenções do jogador encarnado. A finalizar, Helton Leite parou a última tentativa do Estrela, depois de uma finalização de Paollo Madeira.

É o Benfica que segue em frente para os quartos de final da Taça de Portugal. Aguarda agora o adversário que vai sair do encontro entre o Fafe e o Belenenses SAD.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.