Oito dos 18 clubes da Primeira Liga caíram logo na sua primeira aparição na edição 2022/23 da Taça de Portugal. Sporting, Marítimo, Santa Clara, Boavista, Portimonense, Desportivo de Chaves, Rio Ave e Paços de Ferreira não passaram da 3.ª ronda da prova rainha do futebol português perante emblemas do terceiro e quarto escalão do nosso futebol.

O mais surpreendente de todos foi mesmo o Sporting, derrotado por 1-0 diante do Varzim, num jogo que agudizou ainda mais a crise maus resultados dos Leões. O capitão João Faria, aos 70 minutos, marcou o golo do triunfo de um dos líderes da Série A da Liga 3 - o outro é o Lank Vilaverdense -, que somou o oitavo jogo sem perder na presente temporada, impondo o sexto desaire da época aos comandados de Rúben Amorim, em 14 encontros.

O Sporting ‘caiu’ na estreia pela oitava vez, em 89 presenças, a última das quais há três temporadas, em 2019/20, frente ao Alverca, que também disputava o terceiro escalão. Os ‘leões’ já ergueram o troféu em 17 ocasiões.

Numa fase da prova em que os 18 clubes primodivisionários atuaram fora de casa, o papel de ‘tomba-gigantes’ começou por ser dividido por dois emblemas da II Liga, casos de Tondela e Mafra, que, em 2021/22, só vacilou nas meias-finais com os beirões, finalistas vencidos. Se os tondelenses, que na época passada desceram ao escalão secundário, venceram o Santa Clara, 16.º e antepenúltimo da I Liga, por 2-0, os mafrenses derrotaram o lanterna-vermelha Marítimo, que continua sem triunfar em 2022/23, por 4-2, após prolongamento.

Na tarde deste domingo, mais cinco emblemas da Primeira Liga ficaram pelo caminho.

O Boavista foi o primeiro a ser eliminado este domingo, ao perder por 1-0 no terreno do Machico, do Campeonato de Portugal. A formação madeirense, nona classificada da Série B do quarto escalão, impôs-se aos ‘axadrezados’, quintos da I Liga, com um golo de Roberto Gouveia, aos 45 minutos.

O Machico assegurou a presença na quarta eliminatória com o segundo triunfo na temporada, depois de ter afastado na ronda anterior o Alverca, da Liga 3, no desempate através de grandes penalidades, enquanto o Boavista somou o terceiro jogo sem vencer em todas as competições.´

Depois foi o Portimonense a cair no terreno do Lank Vilaverdense, da Liga 3, ao perder por 2-0. A equipa que lidera a série A da Liga 3, ainda sem derrotas, inaugurou o marcador aos 31 minutos, por André Soares, e fez o segundo já perto do final da partida, com Edmilson a marcar aos 90+2.

Com alguma surpresa ou talvez não, o Paços de Ferreira deu continuidade ao péssimo arranque de época e também foi afastado da Taça ao perder no terreno do Vitória de Setúbal, da Liga 3, por 2-0.

No Estádio do Bonfim, o Vitória de Setúbal, que já venceu esta Taça de Portugal por três vezes, adiantou-se no marcador aos 46 minutos, com um golo de José Varela, ampliando a vantagem aos 70, por intermédio de François. Com este triunfo, a equipa sadina, que milita na série B da Liga 3, segue em frente para a próxima eliminatória da Taça de Portugal, competição que já conquistou por três vezes.

Surpreendente também foi o afastamento do Desportivo de Chaves, aos pés do Valadares Gaia, do quarto escalão. O emblema de Vila Nova de Gaia, do quarto escalão, venceu por 3-2 após prolongamento. Pio Júnior, aos 112, na conversão de uma grande penalidade, marcou o golo da formação de Vila Nova de Gaia, sexta classificada da Série B do Campeonato de Portugal, que ainda não perdeu na presente temporada.

O Desportivo de Chaves, 11.º da I Liga, até marcou primeiro, por Steven Vitória, aos 34, mas Joseph e Assis Júnior, aos 86 e 90+2, concretizaram a reviravolta para o Valadares Gaia, enquanto Ricardo Guima levou o encontro para o prolongamento, ao chegar ao empate 2-2, aos 90+4.

Quem também caiu no prolongamento foi o Rio Ave, afastado pelo Oliveira do Hospital. A equipa da Liga 3 venceu por 3-2 no prolongamento, após a igualdade 2-2 no tempo regulamentar. Rui Batalha, aos 67 e 72, o segundo na conversão de uma grande penalidade, deu a volta ao marcador, tendo Vítor Gomes conseguido o empate para os 13.ºs classificados do principal escalão, aos 76, relegando o encontro para o prolongamento.

O suplente Patrick, aos 116 minutos, marcou o golo do triunfo do Oliveira do Hospital, oitavo da Série B do terceiro escalão, que assegurou a passagem à quarta ronda, num encontro em que começou a perder, depois de Leonardo Ruiz ter dado vantagem aos vila-condenses, aos 24.

De resto, o Benfica passou mas sofreu no Campo da Mata onde só nos penáltis eliminou o Caldas, da Liga 3, depois de 1-1 nos 120 minutos. A equipa do alemão Roger Schmidt prossegue invicta esta temporada (14 vitórias e quatro empates), mas só triunfou em uma das últimas cinco partidas, quando restam cinco dias para a visita ao FC Porto, no clássico da 10.ª jornada do campeonato.

Também o Braga passou um mau bocado para eliminar o Felgueiras, com o golo da vitória a surgir apenas aos 89 minutos, por Paulo Oliveira (2-1).

Nos restantes jogos entre clubes dos dois escalões profissionais, o Famalicão superou o Trofense pela margem mínima (1-0) e o Vizela precisou do desempate por penáltis (2-1) para ultrapassar o Penafiel, após empate 3-3 no final dos 90 minutos e do tempo extra.

Arouca e Vitória de Guimarães, outro antigo vencedor da prova, ‘selaram’ a continuidade na prova face a Fontinhas (2-0) e Canelas 2010 (3-1), respetivamente, ambos da Liga 3, tal como o Gil Vicente se impôs frente ao Serpa (3-0), do Campeonato de Portugal (CP).

Das equipas da I Liga, o FC Porto foi quem venceu com maior tranquilidade, ao bater o Anadia por 6-0, para assim continuar na defesa do troféu, nesta que é a 83.ª edição da Taça de Portugal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.