O treinador do F.C. Porto fez esta quinta-feira a antevisão do jogo da Taça de Portugal com o Vila Real em que frisou a importância da competição para os objetivos dos 'dragões' para esta época. O técnico portista começou por abordar as ausências no plantel na preparação do jogo por causa dos compromissos das seleções, mas frisou que o F.C. Porto entra sempre em campo com respeito pelo adversário independentemente da diferença de escalões.

"[As ausências de jogadores] Limita sempre o que é o trabalho e a preparação para os jogos. Tivemos muitas ausências, há jogadores que só chegaram hoje e outros que ainda nem vi. A equipa que vai entrar amanhã em jogo vão ser jogadores que trabalharam mais connosco durante a semana", começou por dizer Sérgio Conceição.

Já em relação à importância da Taça de Portugal no calendário do F.C. Porto, Sérgio Conceição não escondeu tratar-se de uma competição que os 'dragões' querem voltar a vencer.

"É sempre um jogo de Taça e nós temos de estar precavidos para estes jogos e para esta competição que tenho muito apreço e muito carinho. Já ganhei a Taça de Portugal ao serviço do F.C. Porto quando era jogador e infelizmente não a consegui ganhar como treinador quando representava o Sporting C. Braga. É um sonho que tenho chegar lá e ganhar a competição como treinador. É uma competição que culmina num dia de festa no final da época. Para além disso, representamos o F.C. Porto e entramos em todos os jogos e competições para ganhar, mas sempre com máximo respeito pelo adversário. Só por serem amadores, não quer dizer que vai haver facilitismos", frisou Sérgio Conceição.

Sobre as possíveis supresas na Taça de Portugal, Sérgio Conceição garantiu que há respeito e não receio.

"Há respeito, receio não temos. Sabemos da qualidade que temos, mas não basta entrar com o símbolo do F.C. Porto para ganhar um jogo. Eles são 11 homens que querem entrar na história do futebol português e eliminar um clube como o F.C. Porto. Estamos precavidos para eventuais surpresas", acrescentou o técnico portista.

Questionado sobre as possíveis saídas de Brahimi e Herrera já na próxima reabertura do mercado de janeiro por estarem ambos em final de contrato, Sérgio Conceição desvalorizou esse cenário.

"A mim preocupa-me a situação da equipa e em melhorar o rendimento da equipa. Há muitas situações que nós valorizamos e os nossos micro ciclos. Nós não avaliamos jogador a jogador e momentos menos bons de determinados jogadores", sentenciou Sérgio Conceição.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.