O advogado alemão Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional (COI) desde 2013, é o único candidato à presidência do organismo para o quadriénio 2021-2025, anunciou hoje a estrutura que gere o movimento olímpico.

Thomas Bach, que já tinha manifestado em julho a intenção de voltar a candidatar-se, deverá ser eleito na assembleia geral do COI, a realizar entre 10 e 12 de março, em Atenas, e tomará posse oficialmente após os Jogos Tóquio2020, adiados para o próximo verão devido à pandemia de covid-19.

De acordo com a carta olímpico, os presidentes podem cumprir um primeiro mandato de oito anos, prorrogável por mais quatro, não podendo exceder os 12 anos na liderança do organismo.

Bach, de 66 anos, sucedeu na presidência o belga Jacques Rogge, que liderou o COI entre 2001 e 2013 e foi o primeiro a cumprir a regra da limitação de mandatos, depois de o espanhol Juan Antonio Samaranch ter estado à frente do COI durante 21 anos, entre 1980 e 2001.

Nascido em Wurzburgo, Thomas Bach, que é o nono presidente da estrutura olímpica mundial, é formado em direito, foi campeão olímpico de esgrima nos Jogos Olímpicos Montreal1976, e integra o COI desde 1991.

Bach liderou a Confederação Alemã de Desportos Olímpicos entre 2006 e 2013, deixando o cargo quando foi eleito presidente do COI, num escrutínio ao qual se apresentaram mais cinco candidatos, entre os quais o antigo saltador com vara ucraniano Sergey Bubka.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto