O italiano Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) defendeu hoje a liderança do Troféu Joaquim Agostinho em bicicleta, na segunda etapa, que terminou em Torres Vedras, com o triunfo do espanhol Raul Alarcón (W52-FC Porto), surpreendente até para o próprio.

“Não levantei os braços porque fiquei com dúvidas se estava mais alguém na frente. Apanhei o meu companheiro [Ángel Sánchez], mas não sabia se ele tinha descolado ou não, só não celebrei por isso”, explicou Alarcón, após concluir os 154,3 quilómetros da segunda e penúltima etapa da corrida, em 4:00.56 horas.

O vencedor da etapa destacou-se do pelotão, que, comandado pela formação do camisola amarela, perseguia o grupo de fugitivos, primeiro com 11 corredores, formado logo ao 10.º quilómetro, e que terminou com quatro, sendo o portista Ángel Sánchez o último resistente, apenas alcançado a três quilómetros da meta.

Alarcón chegou à frente da corrida quando respondia a um ataque do português António Barbio (Efapel), que acabou por ser segundo na etapa, a cinco segundos do espanhol, tal como os principais candidatos ao triunfo final.

O camisola amarela chegou nesse primeiro grupo, mantendo os 26 segundos de avanço sobre João Benta (Louletano-Hospital de Loulé), vencedor do troféu em 2015, e Hernâni Broco (LA-Antarte), segundo e terceiro classificados, respetivamente, enquanto Alarcón ascendeu ao quarto posto, a 28, graças à bonificação de 10.

“Foi uma etapa muito dura, foi difícil para a equipa controlar, mas no final correu tudo bem, vamos ver amanhã [no domingo] como corre. Penso que a equipa está bem, hoje era um dia complicado, penso que a próxima etapa tem mais montanha pode ser mais fácil controlar e tentar levar a amarela até ao final”, reconheceu Nocentini, admitindo que a chegada em alto lhe será favorável.

O Sporting procura o primeiro triunfo numa temporada que tem sido dominada pela W52-FC Porto, um feito desvalorizado por Alarcón, que apontou ao objetivo principal da temporada.

“Temos trabalhado muito, estivemos a treinar em altitude a pensar na Volta a Portugal, depois de terminar esta prova, queremos pensar na Volta com o Gustavo [Veloso]”, sublinhou Alarcón, aludindo ao chefe de fila dos ‘dragões’, que hoje subiu ao 10.º posto da geral, a 1.18 minutos de Nocentini.

O líder da 39.ª edição do Grande Prémio de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho vai defender a camisola amarela no domingo, quando vai ser disputada a terceira etapa, entre Atouguia da Baleia, no concelho de Peniche, e o parque eólico da Carvoeira, Torres Vedras.

O pelotão vai percorrer os derradeiros 147 quilómetros, passando três contagens de montanha, duas de segunda categoria (Avenal e Montejunto) e uma de terceira (Ota), até chegar à meta, que coincide com outra subida de terceira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.