O piloto português Miguel Oliveira (KTM) foi hoje ‘coroado’ ‘rei da chuva’ ao vencer o Grande Prémio da Tailândia de MotoGP, disputado com o asfalto molhado, repetindo o feito conseguido na segunda prova do campeonato, na Indonésia.

Partindo da 11.ª posição da grelha, Miguel Oliveira concluiu as 25 voltas ao traçado de Buriram em 41.44,503 minutos, batendo o australiano Jack Miller (Ducati), que foi segundo, por 0,730 segundos e o italiano Francesco Bagnaia (Ducati), terceiro, por 1,968 segundos.

O arranque da corrida teve de ser adiado devido ao dilúvio que se abateu sobre a pista e que já tinha levado à interrupção da prova de Moto2, dada por concluída após oito voltas.

Apesar de alguns pilotos se terem reunido informalmente em plena grelha, insatisfeitos por esta 17.ª prova da temporada ir em frente, a verdade é que houve mesmo corrida.

O arranque mostrou um pelotão nervoso e à defesa, pois a água em pista ainda era muita, apesar de já não chover.

Miguel Oliveira teve um arranque discreto, sofreu um toque no meio da confusão, mas já era sétimo no final da primeira volta. Na volta seguinte, passou o espanhol Marc Márquez (Honda) e o italiano Luca Marini (Ducati), chegando ao quinto lugar.

Uma volta mais tarde deixou o espanhol Jorge Martin (Ducati) para trás, subindo a quarto.

Seguiu-se o ataque ao pódio à sexta volta, ultrapassando o italiano Francesco Bagnaia (Ducati), pouco confortável com o piso molhado.

A partir daí, Miguel Oliveira mudou de tática: com o asfalto a secar à medida que as voltas passavam, o risco de a temperatura dos pneus de chuva subir e provocar o rápido desgaste das borrachas era elevado.

Daí que tenha aguentado oito voltas atrás do australiano Jack Miller, que liderava nessa altura. Pelo meio, na oitava volta, esboçou um ataque ao primeiro lugar, mas Miller estava atento e recuperou imediatamente a posição.

Miguel Oliveira seguiu, então, na roda do australiano, que o vai substituir na KTM na próxima temporada, preparando o ataque decisivo, que chegou na 14.ª volta.

Desta vez, Miller não conseguiu recuperar e o piloto português embalou para a segunda vitória da temporada, quinta em MotoGP, 17.ª da carreira no Campeonato do Mundo de Velocidade, em todas as categorias.

Apesar das difíceis condições do asfalto, apenas dois pilotos caíram, o italiano Luca Marini e o australiano Remy Gardner (KTM), sendo que Marini ainda regressou à pista.

Quem se deu mal com estas condições foi o líder do campeonato e campeão em título, o francês Fabio Quartararo (Yamaha), que saiu da quarta posição, mas rapidamente deslizou para a cauda do pelotão, terminando no 17.º lugar, fora dos pontos.

Assim, com o terceiro lugar de hoje, Francesco Bagnaia ficou a apenas dois pontos do piloto da Yamaha, quando ainda faltam disputar três provas (75 pontos).

O espanhol Aleix Espargaró (Aprilia) foi penalizado por ter chocado com o sul-africano Brad Binder (KTM) na primeira volta e foi apenas 11.º. Está em terceiro do campeonato, a 20 pontos de Quartararo.

Já Miguel Oliveira subiu de 11.º a oitavo, tendo, agora, 131 pontos.

A próxima ronda é o GP da Austrália, dentro de duas semanas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.