As equipas portugueses já “esmagaram” por 32 golos o anterior máximo numa época nas taças europeias de futebol, ao totalizarem 107 em 2010/2011, contra os “escassos” 75 da temporada transacta.

Depois de 57 encontros disputados, apenas mais sete do que em 2009/2010, Portugal, que ostenta a média de 1,88 tentos por jogo, apenas é batido por Espanha (120 tentos), Alemanha (112) e Inglaterra (109).

O FC Porto é o clube que mais contribuiu, ao somar 31 golos, que lhe conferem o melhor ataque da presente edição das taças europeias (mais nenhum clube chegou às três dezenas) e também o seu melhor registo de sempre.

Como, face ao previsível apuramento para as meias-finais, ainda terá, pelo menos, três jogos pela frente, o conjunto “azul e branco” é mesmo candidato a superar o “inatingível” recorde nacional, na posse do Sporting, com 36 golos em 1963/64, rumo à vitória na Taça das Taças.

Ao conseguir uma mão cheia de golos na primeira “mão” dos quartos-de-final, na recepção ao Spartak de Moscovo (5-1), a formação comandada por André Villas-Boas superou, para já, o máximo do clube, os 29 de 2002/2003, quando arrebatou a Taça UEFA, sob o comando de José Mourinho.

Depois do “hat-trick” face aos russos, o colombiano Falcao destacou-se na liderança dos melhores marcadores dos “dragões” e da Liga Europa, com 11 tentos, sendo seguido, internamente, pelo brasileiro Hulk, com seis.

Há muito eliminado, nos 16 avos de final da Liga Europa, face aos escoceses do Glasgow Rangers, o Sporting ainda ostenta o segundo ataque mais concretizador entre as equipas lusas em 2010/2011, com 23 golos, em 12 jogos.

Hélder Postiga foi o melhor marcador “leonino”, com quatro tentos, mais um do que Maniche, que se tornou esta época o primeiro jogador a marcar golos pelos três “grandes” nas taças europeias (cinco pelo FC Porto e um pelo Benfica).

Por seu lado, Benfica e Sporting de Braga seguem juntos, com 18 golos, a dois dias de puderem marcar um histórico encontro nas meias-finais da Liga Europa: o primeiro de sempre entre equipas lusas.

O paraguaio Óscar Cardozo e o argentino Salvio, ambos com três golos, lideram os marcadores do “onze” de Jorge Jesus, que já soma 11 golos na Liga Europa (cinco jogos), contra apenas sete na “Champions” (seis).

Com mais jogos disputados (15, contra 13 do FC Porto, 12 do Sporting e 11 do Benfica), o Sporting de Braga, que se estreou na Liga dos Campeões e “caiu” para a Liga Europa, é liderado pelo brasileiro Matheus (seis golos).

A média não é imponente (1,2), mas os “arsenalistas” já tiveram pela frente uma série de “enormes” adversários, casos de Liverpool, Celtic e Sevilha, que arrumaram, bem como Arsenal e Shakhtar Donetsk.

Pelo contrário, o Marítimo, que ficou nos “play-offs”, tem o pior registo, mas a melhor média (2,8): em seis jogos, conseguiu 17 tentos, incluindo um 8-2 ao Bangor City, contra os “míseros” 10 que ostentavam em 16 jogos europeus.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.