O futebol inglês vai estabelecer diretrizes desde o início da próxima temporada sobre cabeceamentos nos treinos, com o objetivo de prevenir riscos à saúde, especialmente lesões cerebrais a longo prazo, anunciou a Premier League esta sexta-feira.

Serão realizados dois estudos para identificar as forças envolvidas no impacto da cabeça na bola, informou também a Premier League.

"Os resultados desses estudos servirão de base para o desenvolvimento de diretrizes sobre os cabeceamentos nos treinos do futebol profissional e nos escalões amadores, que devem ser preparadas antes da temporada 2021-2022", disse o organismo em comunicado.

As diretrizes serão aprovadas por várias organizações, incluindo a Premier League e a Football Association (Federação Inglesa de Futebol), após consultar clubes, jogadores, treinadores e médicos.

Os jogadores do Liverpool (Sub-23, Sub-18 e equipes femininas) e do Manchester City (Sub-18 e equipes femininas) participarão num dos estudos. Os atletas serão equipados com protetores dentais que terão sensores para recolher dados sobre os impactos da bola na cabeça.

O estudo também fornecerá informações sobre possíveis diferenças entre homens e mulheres.

Um estudo de 2019, na Escócia, revelou que os jogadores profissionais tinham três vezes e meia mais risco de morrer de uma doença neurodegenerativa do que o resto da população.

Em novembro passado, a imprensa revelou que a lenda do Manchester United, Bobby Charlton, sofre de demência, como aconteceu com seu irmão Jack e o seu ex-companheiro de equipa Nobby Stiles, que morreu no ano passado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.