O melhor Sporting dos últimos 70 anos? Os números dizem que sim! O Sporting triunfou com toda a tranquilidade do mundo por 2-0 no terreno do Marítimo - onde tinha sofrido uma das suas duas únicas derrotas da temporada, a única  em provas internas até à data - e terminou uma primeira volta de sonho da I Liga com 14 vitórias e 3 empates.

Poucos imaginariam tal cenário no início da temporada, mas a verdade é que a vitória somada no Funchal, com dois golos do inevitável Pedro Gonçalves, deixa a equipa de Amorim invicta ao fim da primeira volta da prova, isolada no topo, e com vantagem confortável. Numa ronda que se antevia complicada para os 'verdes e brancos', estes acabaram por ganhar pontos aos rivais FC Porto e Benfica. São seis pontos de avanço sobre os 'dragões' e onze sobre as 'águias' com meio campeonato jogado.

Ainda falta jogar outro meio, como Rúben Amorim fez questão de lembrar no final do encontro, é verdade. Mas para já este Sporting mostra uma regularidade e uma segurança que o fazem parecer imparável...e é preciso recuar 70 anos para dobrar uma primeira volta com tão confortável liderança.

O jogo: Na estreia de Paulinho, o goleador foi o mesmo do costume

Depois de tanto elogiar Paulinho, reforço de fecho de mercado, Rúben Amorim não hesitou e deu a titularidade ao avançado que tão bem conhece do tempo que com ele passou no Sp.Braga. E Paulinho começou por dar desde logo boas indicações, servindo Antunes para o primeiro lance de perigo do encontro e cabeceando depois, ele mesmo, ao lado.

Mas o atacante internacional português de 28 anos, a mais cara contratação da história do Sporting, acabaria por ficar 'em branco' na estreia de leão ao peito. O goleador da noite iria ser outro...ou melhor, iria ser o do costume esta época.

Pedro Gonçalves precisou de apenas nove minutos para inaugurar o marcador e fazer o seu 13º golo nesta I Liga 2020/21. Solicitado por um brilhante passe do jovem defesa Gonçalo Inácio, outra das novidades no onze leonino, 'Pote' isolou-se e, perante a algo extemporânea saída do guarda-redes do Marítimo, Amir, mostrou enorme classe, fazendo a bola passar por entre as pernas do guardião da casa antes de a atirar para o fundo das redes.

A pressão alta que o Sporting continuou a exercer, mesmo em vantagem, impediu que o Marítimo conseguisse reagir convenientemente à desvantagem, incapaz de chegar com perigo perto da grande área contrária e importunar Adán (aliás, o guarda-redes do Sporting só iria ter de se aplicar verdadeiramente aos 85 minutos, num lance em que até havia fora de jogo do atacante contrário).

E, quando o Marítimo tentou reagir, mexendo na equipa no início da segunda parte, o Sporting, eficaz, voltou a marcar, pelo inevitável Pedro Gonçalves. Curiosamente, assistido por outra das novidades da equipa apresentada por Rúben Amorim. Antunes cruzou rasteiro da esquerda e 'Pote' atirou a contar para fechar a primeira volta com 14 golos, destacando-se ainda mais no topo da lista de melhores marcadores.

O golo desfez quaisquer dúvidas em relação ao vencedor do encontro, com o Sporting a limitar-se a controlar as operações até ao fim perante um Marítimo que até foi crescendo, mas que nunca deixou de ser inofensivo. Houve até tempo para Rúben Amorim lançar para os minutos finais mais um reforço: o regressado João Pereira. O apito final chegou pouco depois e o leão cumpria a missão: desforrava-se da derrota que havia sofrido com o Marítimo para a Taça de Portugal e dilatava a vantagem no topo da classificação. Estão jogadas 17 jornadas e falta jogar outras 17, é certo...mas há cada vez mais razões para os sportinguistas estarem confiantes.

 O momento: Pedro Gonçalves abre cedo o marcador

Minuto 9. O Sporting já tinha ameaçado por duas vezes, mas na memória de todos ainda estava a derrota sofrida na anterior visita ao Marítimo, para a Taça, em que os 'leões' desperdiçaram algumas ocasiões de golo antes de verem o adversário ganhar vantagem e arrancar para a vitória. Desta feita, porém, a história seria outra.

A jogada começou num passe de Gonçali Inácio para as costas da defesa maritimista, Pedro Gonçalves aproveitou a saída de Abedzadeh e, com grande classe, contornou o guarda-redes e atirou para o fundo da baliza. Estava feito o mais difícil.

Os melhores: Um 'Pote' que vale ouro e um capitão cada vez mais seguro

São 14 golos em 15 jogos na I Liga 20/21. Pedro Gonçalves continuou a sua temporada de sonho no Funchal, com mais dois remates certeiros, dando seguimento à veia goleadora que Rúben Amorim nele parece ter descoberto. Um bis (o quinto da época) à sua imagem, com dois golos diferentes, mas bem ao seu estilo, decisivos para mais três pontos do Sporting.

E se Pedro Gonçalves fez a diferença no ataque, a marcar, o capitão Sébastian Coates fez a diferença a defender. Se Adán teve uma noite (inesperadamente) tranquila, deve-o em grande parte ao central uruguaio, que foi verdadeiramente imperial na defesa dos leões, com vários cortes de grande nível e esteve intransponível pelo ar. O Sporting voltou a não sofrer golos, tem de longe o melhor registo defensivo da I Liga e Coates, a realizar uma grande temporada, será um dos grandes responsáveis por isso.

O pior: Amir saiu da baliza quando não devia e comprometeu estratégia do Marítimo

Num Marítimo que pouco mostrou em termos ofensivos para contrariar a desvantagem no marcador, o principal problema terá sido ter-se visto tão cedo no jogo a perder. E, no golo que abriu o marcador, o guarda-redes da casa, Amir, não ficou bem na fotografia. O passe longo de Gonçalo Inácio a solicitar Pedro Gonçalves foi bom, mas o guardião iraniano saiu cedo de mais da baliza, facilitando - e muito - o trabalho a 'Pote'.

Estatísticas e curiosidades

  • Pedro Gonçalves chegou aos 14 golos na temporada, em 20 jogos no conjunto de todas as competições. Já dobrou o número de golos da época passada, em que pelo Famalicão apontou sete em 40 jogos.
  • O Marítimo sofreu a sua quarta derrota consecutiva no conjunto de todas as competições. Desde janeiro de 2019 que os emblema madeirense não sofria tantas derrota seguidas.
  • Pela oitava vez na história o Sporting termina uma primeira volta da I Liga sem derrotas (a segunda neste século).
  • O Sporting somou o quarto jogo seguido sem sofrer golos na I Liga 20/21 e terminou a primeira volta com apenas 9 golos sofridos, igualando o registo da primeira época de Jorge Jesus ao leme do clube. Na época passada, por esta altura, o Sporting levava 20 golos sofridos
  • Nunca o Sporting tinha somado tantos pontos ao final de 17 jornadas desde que uma vitória passou a valer três pontos.

As reações

O resumo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.