O ano de 2019 ficou, para o Benfica, marcado pela reconquista do título de campeão nacional, depois de perdida a hipótese do 'penta' em 2018. Um título conquistado após uma recuperação notável, depois de Bruno Lage substituir Rui Vitória no cargo de treinador principal e conferir um novo andamento à equipa. Um andamento que não chegou para dar cartas na Liga dos Campeões e que nas Taças só deu para atingir as meias-finais, mas que permitiu a revelação de um grande talento - João Félix - e a afirmação definitiva de Pizzi.

A tão desejada 'reconquista' na I Liga portuguesa

O Benfica entrou em 2019 no segundo lugar da classificação, a quatro pontos do líder FC Porto. Uma vantagem que cresceu para sete logo no primeiro jogo do ano, com uma derrota em Portimão, a qual ditou a saída de Rui Vitória do comando da equipa. Para o seu lugar entrou um Bruno Lage, para muitos desconhecido mas que depressa deu a volta aos acontecimentos, colocando a equipa a jogar de forma verdadeiramente avassaladora.

No final da primeira volta a desvantagem das 'águias' já só era de cinco pontos e, aos poucos, foi caindo ainda mais, com o Benfica a somar uma impressionante série de 18 vitórias e um empate na prova entre janeiro e maio. A ultrapassagem deu-se com um triunfo sobre o FC Porto em pleno Estádio do Dragão, em Março, num jogo em que brilhou João Félix, jovem talento que acabaria por valer ao Benfica muitos pontos e uma venda verdadeiramente astronómica no mercado de verão. O campeonato chegou ao fim com o Benfica a somar 87 pontos e os adeptos a festejarem a conquista do seu 37º título de campeões nacionais.

O ano fecha também com os 'encarnados' à frente dos 'dragões', jogadas 14 jornadas da edição 2019/20 da I Liga. As 'águias' só perderam com os 'dragões', na Luz, ganhando os restantes 13 jogos já disputados da prova, e lideram com quatro pontos de avanço sobre o rival.

Taças ficam-se pelas 'meias', mas houve goleada na Super Taça

Nas Taças, de Portugal e da Liga, o Benfica de Lage não foi tão feliz. Na Taça da Liga 18/19, pouco depois da chegada do novo técnico, a turma encarnada viu-se derrotada pelo FC Porto nas meias-finais e já em dezembro falhou o acesso à 'final four' da edição 19/20. Será a quarta época em que o Benfica não ganha um troféu onde vinha sendo 'rei e senhor' até há bem pouco tempo.

FOTOS: Os festejos do Benfica após a conquista da Supertaça
FOTOS: Os festejos do Benfica após a conquista da Supertaça
Ver artigo

Na Taça de Portugal a formação da Luz também se ficou pelas meias-finais, afastada pelo Sporting. Depois de um triunfo caseiro por 2-1, num jogo em que podia ter obtido um triunfo bem mais dilatado, o Benfica viu o adversário fazer a sua melhor exibição da época na segunda mão e acabou por perder por 1-0 em Alvalade, vítima de um grande golo de Bruno Fernandes, acabando por falhar a presença no Jamor pelo segundo ano consecutivo, depois de ter erguido o troféu pela última vez em 2017.

Perdidas as Taças, salvou-se a Super Taça. Um triunfo categórico sobre o Sporting no Estádio do Algarve (5-0) valeu ao Benfica a conquista deste troféu pela oitava vez na história, a quarta nas últimas seis edições.

Percurso europeu foi 'pedra no sapato'

Caído para a Liga Europa depois de um desempenho pouco conseguido na fase de grupos da Liga dos Campeões 18/19 ainda com Rui Vitória, o Benfica até chegou a fazer sonhar os adeptos com algumas boas exibições na segunda prova de clubes da UEFA, mas acabou eliminado nos quartos-de-final por um Eintracht Frankfurt que se revelou mais poderoso.

Seguiu-se nova prestação abaixo das expetativas na fase de grupos da Liga dos Campeões 19/20, sobretudo por culpa de uma entrada em falso. Duas derrotas logo a abrir dificultaram desde cedo as contas e o melhor que as águias' conseguiram foi repetir, tal como havia sucedido na época transata, o terceiro lugar e a consequente passagem para a Liga Europa. Foi a terceira vez consecutiva e sétima vez nas últimas dez presenças que o Benfica não conseguiu ultrapassar a fase de grupos da mais importante prova europeia de clubes.

Pizzi diz que não é intocável no Benfica, mas os números provam o contrário
Pizzi diz que não é intocável no Benfica, mas os números provam o contrário
Ver artigo

A figura

Entre muitos jogadores em excelente plano no Benfica ao longo de 2019, um brilhou mais do que todos os outros. Pizzi esteve verdadeiramente impressionante, contribuindo com muitos golos e muitas assistências para os êxitos das 'águias' durante o ano. Ao todo, o médio internacional português apontou 27 golos e fez umas incríveis 36 assistências em 53 jogos no conjunto de todas as competições em 2019 e foi titular em todos os jogos realizados pelas 'águias' na I Liga ao longo do ano, excepto num, em que foi suplente utilizado.

Números do Benfica em 2019

JOGOS:  57
VITÓRIAS: 42
EMPATES: 6
DERROTAS: 9
GOLOS MARCADOS: 148
GOLOS SOFRIDOS: 50

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.