O treinador Luís Freire disse hoje que o Nacional vai deslocar-se na sexta-feira a Paços de Ferreira com a "vitória no pensamento", para o jogo de abertura da 22.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

O Nacional vem de um ciclo negativo, com três derrotas consecutivas, com Farense (3-2), Belenenses e Braga (ambas por 2-1), mas Luís Freire está confiante na obtenção de um bom resultado em Paços de Ferreira.

“Vamos com a expectativa de fazer um bom jogo, pois temos capacidade para lutar pelos três pontos. A vitória esta no nosso pensamento, sabendo que o Paços de Ferreira tem feito um campeonato muitíssimo bom, com uma boa dinâmica de jogo”, afirmou o técnico, em conferência de imprensa.

Luís Freire considerou que a equipa “tem disputado todos os jogos até ao limite e este não vai ser exceção”. Para que isso aconteça, diz que o Nacional “terá de ter compromisso e estar muito determinado em vencer, sendo uma equipa muito competitiva”.

Apesar de o Paços de Ferreira vir de uma derrota nos Açores, com o Santa Clara (3-0), Luís Freire não antecipa facilidades: “Estiveram muitos jogos sem perder. Tiveram um jogo mau, mas estão a fazer um excelente campeonato. O importante é nós querermos entrar num bom momento, vencendo para ter alguma folga no campeonato”, avaliou.

O treinador revelou que “uma vitória deixará todos felizes”, dizendo que o “Nacional já merece melhor”, lembrando as três derrotas consecutivas, “que deixaram o sabor que poderia ter sido possível tirar mais alguma coisa”, pois ressalva que “houve coisas positivas nesses jogos”.

O Nacional tendo sido alvo de algumas críticas, por haver alguma falta de pressão no meio-campo, mas Luís Freire não concordou.

“Acho que é uma crítica pouco consistente. Contra o Braga, que é a equipa que melhor joga futebol em Portugal, era muito complicado jogar de igual para igual. Mas temos pressionado nos outros jogos, embora com o Belenenses nem daria para isso. Nós costumámos pressionar. Essa crítica não tem lógica nenhuma, embora aceite todas as opiniões”, asseverou.

O técnico sublinhou que o “Nacional tem de defender bem e ter uma boa capacidade de ferir o adversário”, ficando dessa forma, a equipa “mais perto das vitórias” e de ser “premiada com pontos”.

Riccardo Piscitelli teve uma noite infeliz com o Braga, tendo influência direta nos dois golos consentidos. Esse facto não retira a confiança no guarda-redes italiano e Luís Freire lembrou que “já foi o homem do jogo duas ou três vezes, fazendo boas exibições e não será por este jogo que passa a ser o pior”.

O campeonato está muito equilibrado na zona baixa da tabela, com poucos pontos a separar as equipa: “Não esperávamos que estivessem 10 equipas nesta posição, pois há um equilíbrio muito grande, mas estamos preparados para isso e esperamos chegar ao fim com o nosso objetivo [manutenção] conquistado”, concluiu.

O Nacional, 12.º classificado, com 21 pontos, desloca-se na sexta-feira ao Estádio Capital do Móvel, onde a partir das 18:30, defrontará o Paços de Ferreira, quinto, com 38 pontos, em partida relativa à 22.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.