Num jogo entre vizinhos em que a disputa de pontos poderia catapultar qualquer uma das equipas para os primeiros lugares da tabela, assistiu-se a uma partida emotiva e equilibrada, tanto dentro de campo como nas bancadas bem compostas.

Moreirense e Desportivo das Aves começaram o jogo de forma semelhante, a estudarem-se mutuamente e sempre de olho na baliza adversária, tendo Castro feito o primeiro aviso, aos oito minutos, num remate por cima, e Renato Santos obrigado Hélder Godinho a defendeu em dificuldade, aos 11.

Os visitantes responderam com um cabeceamento de Luisinho para as mãos de Tigrão (15) e com um remate por cima de Júlio César (21), mas Renato Santos esteve de novo em evidência (28), ao rematar rasteiro e com força, de fora da área, para defesa atenta do guardião avense.

Neste dérbi do Minho só faltavam golos e Antchouet fez a vontade aos adeptos, muito por culpa de João Pedro, que perdeu a bola no meio campo, permitindo a Eriverton passá-la ao avançado gabonês, que contornou Hélder Godinho e inaugurou o marcador no último minuto do primeiro tempo.

A segunda parte começou com atitudes diferentes de parte a parte. Jorge Casquilha apostou na defesa, enquanto Micael Serqueira mandou os jogadores pressionarem e instalarem-se no meio campo dos da casa.

João Pedro teve, aos 49 minutos, uma oportunidade flagrante de se redimir do erro que deu vantagem aos vimaranenses, mas, após cruzamento de Pedro Cervantes, não foi capaz de encostar para golo.

Após uma jogada de contra-ataque, a única forma que o Moreirense encontrou na etapa complementar de chegar à baliza adversária, Castro arrancou um livre que só não resultou em golo porque Antchouet, com sede de bisar, atrapalhou a trajetória da bola (53 minutos).

Aos 69 minutos, Tigrão defendeu nas alturas um remate de Rabiola e quatro minutos antes João Pedro voltou a ficar mal na fotografia quando quase ofereceu o segundo golo ao Moreirense, isolando Renato Santos, que atirou por cima.

Os adeptos visitantes chegaram a gritar golo, mas Tigrão segurou, mesmo em cima da linha da baliza, o remate de Tozé Marreco (84).

A incerteza e a emotividade continuaram até ao último minuto. Luís Pinto quase fez o tento da tranquilidade aos 90, mas atirou contra o corpo de Godinho, e nos descontos Marco Cláudio e Rabiola tentaram tudo, mas o desespero foi sinónimo de falta de pontaria.

Jogo disputado no Parque de Jogos Comendador Joaquim Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.