A retoma da atividade desportiva, no período de desconfinamento, e os constrangimentos financeiros causados pela pandemia de covid-19 são os temas centrais da Cimeira das Federações Desportivas, que decorre na quarta-feira, em Algés.

“O evento pretende perceber a estratégia das federações no desconfinamento e regresso à atividade desportiva e as suas preocupações financeiras, para que delas possamos fazer eco”, explicou o presidente do Comité Paralímpico de Portugal (CPP), José Lourenço, à agência Lusa.

O CPP é, juntamente com o Comité Olímpico de Portugal (COP) e a Confederação do Desporto de Portugal (CDP), um dos organizadores do evento, no qual, segundo José Lourenço, são esperados representantes de cerca de 60 federações desportivas.

José Lourenço referiu que “muitos clubes, em várias modalidades estão a sentir dificuldades económicas”, admitindo que “se não existirem apoios financeiros terá muita dificuldade em assegurar a prática desportiva”.

O presidente do CPP lembrou, tal como já o fez o seu homólogo do COP, José Manuel Constantino, que o Programa de Estabilização Económica e Social, aprovado no início de junho para responder à crise provocada pela pandemia da covid-19, “não faz qualquer menção ao desporto”.

“É também por isso que queremos ouvir as federações”, disse, acrescentando: “As três instituições de cúpula do desporto [COP, CPP e CDP] vão apresentar uma moção, que será enriquecida com esses contributos, para delinear uma estratégia conjunta, que será levado ao Governo e à Assembleia da República”.

O líder do CPP referiu que os atuais problemas financeiros não se colocam ao nível do alto rendimento e, por isso, as preparações para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio2020, adiados para o verão de 2021, “não estão em causa”.

“Não há dúvida de que o Governo durante o confinamento e no período que agora vivemos tem estado atento aos contratos-programa. Por isso, o problema do financiamento não se coloca nas preparações olímpica e paralímpica”, garantiu, admitindo que nessa matéria o que falta são competições internacionais.

José Lourenço frisou que os organizadores do evento, que decorrerá no auditório do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, entendem “que o momento é difícil em termos económicos”, mas consideram “essencial falar da questão da equidade nos apoios”.

“É de extrema importância que haja apoios dirigidos à parte do desenvolvimento desportivo”, afirmou, lembrando que muitos clubes, de várias modalidades sobrevivem com verbas provenientes das escolinhas, que estiveram encerradas durante meses e que só agora estão a começar a fazer o desconfinamento, mas com restrições.

Após a declaração de pandemia de covid-19, em 11 de março, as atividades desportivas foram suspensas, tal como as competições profissionais, destas só a I liga de futebol foi retomada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.