O Allianz Figueira Pro foi disputado em condições de mar difíceis, especialmente no sábado, consequência do mau tempo que afetou o país no fim de semana, mas, no domingo, ondas mais consistentes, as melhores dos três dias de competição, resultaram em notas elevadas.

Na competição masculina, o quatro vezes campeão nacional Vasco Ribeiro dominou a última bateria (19 pontos) - o maior ‘score’ da competição, terminando com uma nota máxima de 10 na sua última onda, também ela a melhor da prova –, numa final inédita na Figueira da Foz frente a Guilherme Fonseca (13,05), surfista da Associação Sealand Santa Cruz.

Vasco Ribeiro, inscrito pelo Estoril Praia e que venceu todas as baterias em que participou no Figueira Pro, soma agora 13 vitórias em provas da Liga portuguesa de Surf e passou para a liderança do ‘ranking’ masculino de 2021.

Em entrevista exclusiva ao SAPO Desporto, Vasco Ribeiro garante que se sente em boa forma, melhor do que no ano passado

No setor feminino, a final foi disputada a quatro, com Yolanda Hopkins, do Clube Naval de Portimão (campeã nacional em 2019, ano em que também venceu na Figueira da Foz), a somar 15,25 pontos, superiorizando-se a Francisca Veselko (13,25), surfista do clube Lombos, de Carcavelos, que alcançou a segunda final consecutiva em duas provas disputadas.

A surfista natural do Algarve, a viver atualmente em Sines, também esteve à conversa connosco. Hopkins falou da sua paixão por surfar, deixando ainda uma mensagem para as aspirantes que querem sentir o mesmo do que ela quando estão na água.

A próxima prova da Liga Meo Surf é o Porto Pro, de 07 a 09 de maio, na praia de Matosinhos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.