A ciclista portuguesa Maria Martins (Fenix-Deceuninck) foi 24.ª classificada na terceira edição da clássica Paris-Roubaix no sábado, vencida com surpresa pela canadiana Alison Jackson (EF Education-TIBCO-SVB), após mais de 100 quilómetros em fuga.

Jackson, de 34 anos, conseguiu a maior vitória da carreira, até aqui relativamente discreta, ao cumprir os 145,4 quilómetros entre Denain e Roubaix em 3:42.56 horas, erguendo o ‘pedregulho’ de quem conquista o ‘pavé’ da clássica.

Numa das mais míticas provas do ciclismo mundial, conhecida como o ‘Inferno do Norte’ pela sua dureza, foi a fuga que ditou a lei, com Jackson a triunfar após uma escapada de mais de 100 quilómetros, à frente da italiana Katia Ragusa (Liv Racing Teqfind), outra ‘desconhecida’ em segundo, e da belga Marthe Truyen (Fenix-Deceuninck), em terceiro, suas companheiras de fuga.

Em 24.º lugar, a 1.42 minutos da vencedora, chegou a olímpica ‘Tata’ Martins, de 23 anos, que prossegue a boa forma na época de estreia no WorldTour, depois de dois ‘top 15’ em clássicas na Bélgica, a que volta segunda-feira para correr a Ronde de Mouscron.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.