A caminhada para o título do FC Porto teve muitos altos e baixos e houve mesmo alturas em que os adeptos portistas duvidaram da possibilidade de se chegar ao primeiro lugar. Os sete pontos de desvantagem para o Benfica no final da primeira volta transformaram-se numa 'montanha' difícil de escalar mas os 'dragões' souberam ser pacientes e aproveitar os erros do rival para chegar ao primeiro posto, posição alcançada na 23.ª jornada, com a vitória frente ao Santa Clara e o empate do Benfica frente ao Moreirense em casa.

Especial Campeão 2019/2020: saiba tudo sobre o título do FC Porto

A entrada na Liga fez-se com o 'pé esquerdo', com uma derrota surpreendente em Barcelos frente ao Gil Vicente por 2-1, equipa que na época anterior estava na Segunda Liga. Uma derrota que apareceu num período conturbado do FC Porto, afastado da Liga dos Campeões logo na terceira jornada, ao perder em casa com os russos do Krasnodar por 3-2, depois de ter ganho na primeira-mão por 1-0.

Depois de uma sequência de sete vitórias, inclusive em casa do rival Benfica por 2-0, o FC Porto voltaria a 'escorregar' na 9.ª jornada, ao deixar dois pontos na Madeira, no duelo com o Marítimo. Foi nessa ronda que o FC Porto cedeu a liderança da I Liga ao Benfica, equipa que apenas tinha a tal derrota em casa com os 'dragões'.

Enquanto o rival Benfica somava triunfos atrás de triunfos (16 seguidos, 18 triunfos em 19 jogos), os 'dragões' deixavam mais dois pontos na visita ao Belenenses SAD, na 13.ª jornada, ao empatar 1-1. Entre críticas a arbitragem por causa do golo dos azuis, Sérgio Conceição deixava uma garantia: "Estou completamente convicto de que vamos ser campeões", afirmou o técnico portista, na conferência de imprensa após o jogo.

E tudo ficaria pior, com a primeira derrota caseira, frente ao SC Braga, por 2-1, no fecho da primeira parte da prova, num jogo onde o FC Porto falhou duas grandes penalidades. Sérgio Conceição falou um jogo ingrato e deixou um apelo aos seus jogadores: "Vamos à procura de fazer uma segunda volta onde não podemos cometer nenhum deslize porque pode custar caro".

A primeira volta terminava com o FC Porto a sete pontos do Benfica e a ver o rival dominar vencer 16 dos 17 encontros disputados.

Mas 2020 tudo mudaria, principalmente no rival Benfica. Essa mudança começou na vitória portista frente ao Benfica no Dragão na 20.ª jornada, reduzindo assim a desvantagem para quatro pontos e a vantagem no confronto direto. Após a série de 16 triunfos em 17 jogos, o Benfica só somou três vitórias em 11 jogos a I Liga, tendo empatado quatro, de seguida, e perdido outros quatro.

Pelo meio até deu para o FC Porto tropeçar, como aconteceu em casa com o Rio Ave (1-1), na 24.ª jornada, a última antes da paragem devido a pandemia de COVID-19, em março.

No regresso da Primeira Liga, quase três meses depois mais duas escorregadelas: derrota a abrir em casa do Famalicão por 2-1 e Benfica a igualar os 'dragões' na liderança. Nova perda de pontos na 27.ª ronda, num empate comprometedor a zero bolas no terreno do último classificado, o Desportivo das Aves, aproveitado pelo Benfica para voltar a igualar os 'dragões' na liderança. Mas as duas derrotas seguidas do Benfica (em casa com Santa Clara por 4-3 e fora na Madeira com Marítimo por 2-0) ajudaram o FC Porto a abrir uma vantagem de seis pontos, que foi aumentado para oito quando os 'encarnados' empataram fora com o Famalicão, no dia em que os azuis-e-brancos podiam festejar, caso o Benfica tivesse perdido.

Nesta caminhada, o FC Porto perdeu cinco pontos em casa (um empate e uma derrota) e 12 fora de portas (duas derrotas e três empates). Apesar disso, chegou para ser campeão.

Especial Campeão 2019/2020: saiba tudo sobre o título do FC Porto

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.