O estado de alerta devido ao Covid-19 têm vindo a aumentar o longo dos últimos dias, com a epidemia a afetar diversos setores das sociedades dos países afetados. O desporto não é excepção.

A história desde vírus começou a 31 de dezembro de 2019, quando a OMS informou sobre a existência de mais de vinte casos de pneumonia de origem desconhecida em Wuhan, na província de Hubei, na China.

A 13 de janeiro foi detetado o primeiro caso fora da China e atualmente, mês e meio depois, o Covid-19 foi já registado em mais 40 países, sendo que Portugal continua sem casos confirmados da doença.

Na Europa, a situação mais preocupante está em Itália, mais precisamente no norte do país onde existem mais de 350 casos confirmados, sendo que 12 pessoas já faleceram vítimas do Covid-19.

Jogos Olímpicos e Euro rodeados por incerteza

A propagação do vírus tem cancelado diversos eventos desportivos à volta do mundo e, em ano de grandes competições, também elas estão à mercê desta epidemia.

Os Jogos Olímpicos, realizados em Tóquio, Japão no próximo verão encabeçam a lista dos grandes eventos e a proximidade com o epicentro da epidemia colocou a Olimpíada em alerta.

Na passada terça-feira, em declarações à AFP, a organização garante que o cancelamento dos Jogos Olímpicos ainda não foi debatida, sendo que as preparações continuam a decorrer como planeado. 

Contudo, Dick Pound, um dos membros do Comité Olímpico Internacional revelou, em declarações citadas por diversos media mundiais, que o mês de maio será decisivo para a decisão final: se a situação não melhorar, os jogos estão em risco.

Para o Europeu deste ano, o alerta é semelhante. Com um novo formato, que leva a competição a 12 cidades de outros tantos países, serão milhares e milhares de adeptos a viajarem por toda a Europa para acompanharem as suas seleções.

Em declarações a uma rádio italiana, Michele Uva, vice-presidente da UEFA, afirmou que o organismo se encontra atenta e a analisar a situação país-a-país e que em caso de agravamento da situação "o trajeto desportivo será bloqueado".

Itália: Serie A e Liga Europa à porta fechada

Em Itália, a situação tem vindo a agravar-se no norte do país, nas regiões de Lombardia e Veneto, tendo levado ao cancelamento de quatro partidas da Serie A no fim de semana passado,  no âmbito do cancelamento da atividades desportivas agendadas para aquela região decretado pelo Governo Italiano.

O surto levou a que vários jogos da próxima jornada da Serie A, na qual se inclui um Juventus-Inter, sejam jogados à porta fechada no próximo fim-de-semana, sendo que a situação já se prolongou à Liga Europa, com o encontro entre Inter e Ludogorets, da próxima quinta-feira a ser realizada também de portas fechadas.

Já na passada segunda-feira tinha sido a vez da Federação Italiana de Motociclismo suspender todas as competições até ao dia 1 de março.

No râguebi, dois jogos do Pro14 que incluíam emblemas italianos e estavam marcados para o próximo fim-de-semana foram adiados.

Também a Federação Italiana de Basquetebol avançou com o adiamento de todas as partidas agendadas para o fim de semana.

O Coronavirus afeta tambem o setor financeiro e que o diga a Juventus, que viu as suas ações desvalorizarem 11 por cento na passada segunda-feira, obrigando mesmo a Bolsa de Valores de Itália a suspender a sua comercialização.

Ásia: China, Japão, Coreia do Sul 'fecham' e adiam eventos

No continente onde começou o Covid-19, os países têm vindo a tomar medidas preventivas para impedir uma maior propagação do vírus, tendo já afetado várias modalidades desportivas.

No Japão, o encontro da Taça Davis entre os nipónicos e o Equador, a realizar-se na próxima semana, irá ser disputado à porta fechada.

O anúncio do patrocinador da competição de ténis, surgiu um dia depois da Federação Japonesa de Futebol ter decretado o adiamento de todos os jogos oficiais até ao dia 15 de março, num total de 94 partidas das diversas competições nipónicas.

Maratona de Tóquio irá realizar-se, mas estará limitada apenas aos atletas de elite, diminuindo o número de corredores de cerca de 38 mil para pouco mais de 200.

Na Coreia do Sul foi adiado indefinidamente o início da época de futebol, face ao elevado número de casos sul-coreanos: 1.146 infetados e 11 mortes.

A Federação Internacional de Ténis de Mesa anunciou tambem o adiamento do Campeonato do Mundo de Ténis de Mesa por Equipas, que se iria realizar em março em território sul-coreano, tendo sido adiada para o mês de junho.

Já na Coreia do Norte, a maratona de Pyongyang, marcada para abril, foi cancelada devido ao encerramento das fronteiras norte-coreanas para proteção face à epidemia.

Na China, país onde começou a epidemia, vários eventos foram cancelados ou mudados para outra localização.

Foi o caso do torneio de qualificação olímpica de luta livre, que estava agendado inicialmente para a cidade chinesa de Xi’an e que acabou por ser transferido para o Quirguistão, à semelhança do que já tinha acontecido com os torneios olímpicos de futebol feminino, pugilismo e basquetebol.

A seleção chinesa irá disputar duas partidas 'em casa' de qualificação para o Mundial de 2022 na Tailândia, devido ao surto e o torneio de ténis feminino em Xi'ra foi suspenso.

Também os torneios de sevens de raguebi, previstos para Hong Kong e Singapura no mês de abril foram adiados para outubro.

Já na Formula 1, o Grande Prémio do Vietname, marcado para 5 de abril em Hanoi, mantém-se segundo informações da organização dadas à Agência France-Presse (AFP).

Europa: Efeitos começam a sentir-se

A situação em Itália tem vindo a soar alarmes por toda a Europa.

A Liga dos Campeões ainda não foi afetada pelo Covid-19, sendo que os adeptos da Juventus (de recordar que a Juventus é da cidade de Turim, no norte de Itália) puderam viajar sem restrições para assistir ao jogo da 1.ª mão dos 'oitavos' da 'Prova Milonária' em Lyon, esta quarta-feira.

O mesmo ainda não é certo que aconteça com os adeptos da Atalanta (originária da cidade de Bergamo, dentro da região da Lombardia), quando a sua equipa viajar (ou não) para Espanha, para a segunda mão dos 'oitavos' frente ao Valência.

Isto porque as autoridades valencianas declararam, na passada segunda-feira, que não era certo que a equipa pudesse viajar para Espanha, depois de serem questionadas sobre a presença dos adeptos italianos para assistir à partida.

Na Liga Europa já foi atingida, uma vez que como já foi abordado anteriormente, o Inter de Milão irá receber à porta fechada o Ludogorets, na segunda mão dos dezasseis-avos de final da competição.

Para lá do futebol, o Ministério da Saúde Irlandês pediu o cancelamento da partida entre a República da Irlanda e a Itália a contar para o Torneio das Seis Nações de râguebi.

Também a parte institucional desportiva foi afetada com a FIFA a ser obrigada a alterar o local da sua reunião da Comissão Executiva, inicialmente marcada para Assunção, no Paraguai para a sua sede na Suiça e o congresso SportAccord, que reúne as principais federações desportivas internacionais e comités olímpicos, a ser mudado de Pequim para Lausanne, na Suiça.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.