Superliga Europeia, uma morte anunciada

Foi o tema quente do mês de abril. Confirmando os rumores que vinham de trás, 12 clubes anunciaram a sua intenção de criar uma nova competição europeia, chamada Superliga. AC Milan, Arsenal, Atlético de Madrid, Chelsea, Barcelona, Inter de Milão, Liverpool, Manchester City, Real Madrid e Tottenham integravam a lista de clubes fundadores.

As reações de contestação não tardaram a surgir, um pouco por toda a parte. A UEFA reafirmou a intenção de excluir os clubes que integrem uma eventual Superliga europeia, e que tomará "todas as medidas necessárias, a nível judicial e desportivo" para inviabilizar a criação de um "projeto cínico".

Revista do Ano: Os temas que marcaram 2021- as notícias, as reportagens, os vídeos mais vistos. Os insólitos, as frases e as imagens que fizeram furor em 2021

Figuras políticas como Boris Johnson e Emmanuel Macron ou entidades como a FIFA e a Associação Europeia de Clubes (ECA) também se juntaram às vozes críticas, antes assumidas pelas instituições desportivas de Inglaterra, Itália e França, e também em Portugal pelo presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença. No seguimento desse anúncio, Andrea Agnelli, presidente da Juventus, deixou a liderança da Associação Europeia de Clubes, sendo depois substituído por Nasser Al-Khelaifi, líder do PSG.

O que sabemos sobre a nova Superliga europeia: clubes envolvidos, formato, jogos e prémios
O que sabemos sobre a nova Superliga europeia: clubes envolvidos, formato, jogos e prémios
Ver artigo

Entre discursos emotivos, apelos e ameaças, a maioria dos fundadores não resistiu à pressão e acabou por abandonar o projeto. Tudo isto em menos de três dias.

Na mesma altura, a UEFA aprovava um novo formato para as competições de clubes, a ser implementado a partir da época 2024/25. Uma das principais novidades passa por um aumento do número total de equipas de 32 para 36 na Liga dos Campeões. Tal implicará a transformação da fase de grupos tradicional para uma única fase de Liga que incluirá todos os participantes.

Mais um despedimento para Mourinho e Pedro Martins campeão na Grécia

Praticamente um mês após a surpreendente eliminação da Liga Europa, o Tottenham anunciava a demissão de José Mourinho do comando técnico. Este era mais um episódio de insucesso do técnico português, depois de ter sido despedido do Manchester United, Chelsea e Real Madrid. Mourinho deixava os 'spurs' na sétima posição da Premier League e a menos de uma semana da final da Taça da Liga Inglesa.

Ryan Mason, ex-jogador do clube, ocupou o lugar de José Mourinho de forma interina até ao final da presente época, acabando por sair derrotado da final da Taça da Liga inglesa, diante do Manchester City. Rúben Dias e Cancelo foram titulares nos 'citizens', Bernardo Silva entrou perto do fim e Ayméric Laporte apontou o único golo da partida disputada em Wembley. Também em abril, Chelsea e Leicester garantiam a presença na final da Taça de Inglaterra.

Manchester City vence Tottenham e conquista Taça da Liga inglesa
Manchester City vence Tottenham e conquista Taça da Liga inglesa créditos: AFP

Em sentido inverso, Pedro Martins revalidou o título de campeão da Grécia para o Olympiacos, assim como os jogadores José Sá, Rúben Semedo, Tiago Silva e Bruma. Um título que chegou a sete rondas do final da prova, tornando-se este Olympiacos o campeão mais rápido da Grécia. O anterior recorde estava na posse de Marco Silva, outro técnico português campeão pelo emblema do Pireu em 2015/16, a seis rondas do fim da Liga Grega.

Renato Paiva conduziu o Independiente del Valle a uma heroica qualificação para a Taça Libertadores, ao eliminar o Grémio; o Legia Varsóvia de André Martins e Rafael Lopes sagrou-se campeão da Polónia, tal como o Dínamo Kiev na Ucrânia e o Young Boys na Suíça; e o FK Panevezys, dos treinadores portugueses João Luís e Luís Olim (adjunto) e do lateral esquerdo Rafael Floro conquistou a Supertaça da Lituânia.

Por outro lado, foi um mês para esquecer para Abel Ferreira, que viu o Palmeiras perder a Supertaça Sul-americana para os argentinos do Defensa y Justicia, bem como a Supertaça do Brasil para o Flamengo, ambas no desempate por grandes penalidades. Já Jorge Simão não conseguiu evitar a despromoção do Mouscron na Bélgica.

Ainda no que toca a títulos, o mês de abril teve dois vencedores da Taça do Rei em Espanha, com o Athletic Bilbao a perder ambas as finais: o Barcelona venceu a edição deste ano, ao golear o Athletic com quatro golos em 12 minutos; e a Real Sociedad ergueu o troféu na final referente à temporada transata, que tinha sido adiada devido à COVID-19.  Nos Países Baixos, foi o Ajax a levantar a taça.

As melhores imagens de desporto (17 a 23 de abril)
Lionel Messi levanta a Taça do Rei. (Photo by Handout / RFEF / AFP)

Emoção na reta final da I Liga, FC Porto eliminado da Champions

No mês em que a Liga portuguesa anunciou a mudança de nome para as próximas temporadas, o Sporting conseguiu segurar a liderança do campeonato, apesar de uma ligeira quebra (empates com Moreirense, Famalicão e Belenenses SAD), tendo ultrapassado um importante teste em Braga.

Na mesma jornada, o FC Porto tropeçava em Moreira de Cónegos (1-1), mas o que deu que falar foi a agressão a um repórter de imagem por parte de Pedro Pinho, empresário de futebol, numa altura em que Pinto da Costa se dirigia aos restantes repórteres de imagens presentes no local. O caso resultou na abertura de um processo disciplinar a Pedro Pinho, que ficou ainda com a licença de agente suspensa preventivamente.

Veja as imagens que marcaram o mês de abril

Ainda no que diz respeito ao campeonato, João Henriques protagonizou a 14.ª chicotada na prova ao deixar o comando técnico do Vitória de Guimarães, tendo sido substituído por Bino, que orientava a equipa B dos vimaranenses. Lá fora, José Gomes abandonou os espanhóis do Almería, enquanto Horácio Gonçalves foi anunciado como o novo selecionador de Moçambique.

Na Liga dos Campeões, o FC Porto foi eliminado pelo Chelsea mesmo vencendo (1-0) na segunda mão dos quartos de final, com um golaço de 'bicicleta' de Taremi - tinha perdido por 2-0 na semana anterior. Na soma das partidas, ambas disputadas em Sevilha, os londrinos mostraram-se mais competentes e 'expulsaram' a única equipa portuguesa das prova europeias, marcando encontro com o Real Madrid nas 'meias'. PSG e Manchester City foram os outros semifinalistas.

Pontapé de bicicleta de Taremi eleito o melhor golo da época para a UEFA
Pontapé de bicicleta de Taremi eleito o melhor golo da época para a UEFA
Ver artigo

Já a Roma de Paulo Fonseca avançava para as meias-finais da Liga Europa após eliminar o Ajax, tendo pela frente o Manchester United de Bruno Fernandes e Diogo Dalot, que afastou o Granada de Domingos Duarte, Rui Silva e Domingos Quina. O outro duelo das meias-finais opunha o Arsenal ao Villarreal.

De destacar, ainda, a dupla nomeação de Artur Soares Dias para arbitrar no Euro'2020 e nos Jogos Olímpicos de Tóquio, bem como a subida da Seleção feminina de futebol ao 29.º lugar do ‘ranking’ da FIFA. Era a melhor classificação de sempre da equipa das ‘quinas’, apesar de ter ficado de fora do Campeonato da Europa de 2022. Edite Fernandes despediu-se da carreira de jogadora, aos 41 anos, no mesmo mês em que o Estoril sagrou-se campeão da Liga Revelação e a Liga 3 foi oficialmente apresentada.

Ouro para Telma Monteiro e MotoGP de novo em Portugal

Telma Monteiro foi outra grande figura do mês de abril, graças à medalha de ouro conquistada nos Europeus de Judo, que se realizaram em Lisboa. A atleta portuguesa venceu o duelo com a eslovena Kaja Kajzer por 'ippon', na categoria de -57kg, somando o sexto ouro em Campeonatos Europeus, depois das vitórias em 2006, 2007, 2009, 2012 e 2015. João Crisóstomo, Bárbara Timo e Rochele Nunes conquistaram a medalha de bronze, o mesmo resultado alcançado por Rui Bragança nos Europeus de taekwondo.

As imagens do dia que deu o ouro a Telma Monteiro e o bronze a João Crisóstomo
créditos: Lusa

O mês de abril fica ainda marcado por dois apuramentos para Campeonatos da Europa: a seleção portuguesa de futsal, campeã em título, qualificou-se para o Europeu de 2022, nos Países Baixos, ao assegurar o triunfo no Grupo 8 de apuramento com uma goleada por 7-1 face à Noruega; e a seleção de andebol, que já tinha garantido o apuramento para os Jogos Olímpicos, garantiu presença no Europeu de 2022 após bater a seleção de Israel por 41-29, em jogo da quinta jornada de apuramento. Em sentido inverso, a seleção feminina de andebol falhou o apuramento para o Mundial, o que levou à saída do treinador Ulisses Pereira.

Abril foi particularmente feliz para o hóquei português, com quatro equipas lusas a marcarem presença na 'final four' da Liga Europeia: Benfica, Oliveirense, FC Porto e Sporting. No futsal, o Sporting apurou-se para as meias-finais da Liga dos Campeões, ao vencer os russos do KPRF Moscovo por 3-2, na Croácia, enquanto o Benfica caiu nos quartos de final ao perder por 6-2, após prolongamento, com os cazaques do Kairat Almaty. Ainda assim, houve festa na Luz para a equipa de futsal feminino, que festejou o tetracampeonato a três jornadas do fim.

Benfica repudia falta do troféu de campeão nacional de voleibol nos Açores
Benfica repudia falta do troféu de campeão nacional de voleibol nos Açores
Ver artigo

Os 'encarnados' também triunfaram no voleibol, com a conquista do nono título de campeão nacional, o segundo consecutivo, ao somarem o terceiro triunfo na final frente ao Fonte do Bastardo. Em femininos, o título foi para o AJM/FC Porto. Já o Sporting ergueu a Taça de Portugal de basquetebol, depois de há poucos meses ter também conquistado a edição 2019/20 da prova, adiada em virtude da pandemia da COVID-19, e conquistou a quarta Supertaça de râguebi feminino.

Filipa Martins esteve em destaque nos Campeonatos da Europa de ginástica artística, apurando-se para as finais do 'all-around' (11.ª) e das paralelas assimétricas (8.ª). A ginasta portuguesa fez história ao apresentar um novo elemento técnico que será incluído no código de pontuação internacional e que será batizado com o seu nome.

Neste mês, vários atletas confirmaram presença nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A saber: Sara Moreira (maratona), Fernando Pimenta (canoagem), Teresa Portela (canoagem), Pedro Fraga e Afonso Costa (remo) e Carolina João (vela). No surf, António Laureano candidatava-se ao Guinness World Record com uma onda de 30,9 metros, surfada seis meses antes na Nazaré.

Para terminar, Portugal voltou a receber o Mundial de MotoGP, numa corrida em que Miguel Oliveira, vencedor do ano passado, foi último após uma queda à sexta volta. Fabio Quartararo foi o vencedor em Portimão, com direito a um festejo inspirado em Cristiano Ronaldo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.