Portugal de ouro no atletismo e um apuramento histórico no andebol

O mês de março foi particularmente feliz para Portugal, com a conquista de três medalhas de ouro nos Europeus de atletismo de pista coberta, que decorreram em Torun, na Polónia. Auriol Dongmo sagrou-se campeã europeia no lançamento do peso, com a marca de 9,34 metros - na quinta tentativa, num concurso em que atirou sempre a mais de 19 metros, tirando o primeiro e o último, que foram nulos.

Revista do Ano: Os temas que marcaram 2021- as notícias, as reportagens, os vídeos mais vistos. Os insólitos, as frases e as imagens que fizeram furor em 2021

Pedro Pichardo foi o campeão europeu de triplo salto, na sua estreia em provas continentais, com um salto de 17,30 metros logo no primeiro ensaio. O pódio ficou completo com o azeri Alexis Copello (17,04) e o alemão Max Hess (17,01). No mesmo dia, Patrícia Mamona venceu o ouro na vertente feminina. A vitória foi conseguida com a marca de 14,53 metros, que constituiu um novo recorde nacional, apenas um centímetro à frente das segunda e terceira posicionadas (a alemã Neele Eckhardt e a espanhola Ana Peleteiro), que registaram, ambas, a marca de 14,52 metros.

Patricia Mamona, Auriol Dongmo e Pedro Pichardo
Patricia Mamona, Auriol Dongmo e Pedro Pichardo

Com estes três títulos, Portugal fechou os Europeus com um inédito segundo lugar no quadro de medalhas, logo atrás de Holanda, que obteve quatro ouros. Francisco Belo, que ficou a três centímetros das medalhas, bateu o recorde nacional no lançamento do peso (Liliana Cá fez o mesmo no lançamento do disco) e conseguiu o apuramento para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

De enaltecer, ainda, a excelente participação de Portugal nos Europeus de atletismo em pista coberta para atletas com deficiência intelectual. A seleção lusa alcançou sete ouros, seis pratas e quatro bronzes, igualando o número de medalhas (17) que conquistou na primeira edição desta competição, em 2000, e ficando apenas atrás da França no medalheiro.

No mesmo mês, a seleção portuguesa de andebol bateu a França por 29-28 em Montpellier, e apurou-se para os Jogos Olímpicos de Tóquio, com um golo de Rui Silva nos derradeiros segundos a ser decisivo. ‘Por Portugal e por ti’, numa referência ao malogrado Alfredo Quintana, que morreu a 26 de fevereiro na sequência de uma paragem cardiorrespiratória, foi o lema que orientou os ‘heróis do mar’ na superação de todas as adversidades.

Vídeo: Os segundos finais arrepiantes do apuramento olímpico da seleção de andebol
Vídeo: Os segundos finais arrepiantes do apuramento olímpico da seleção de andebol
Ver artigo

Houve ainda muitos títulos conquistados ao longo de março: o Sporting venceu pela quarta vez a Taça de Portugal de voleibol masculino – a primeira desde 1995 -, ao bater o Benfica por 3-1, enquanto na vertente feminina foi o Leixões a levantar o troféu; os 'leões' também venceram a Taça da Liga de futsal, enquanto o Benfica foi o vencedor da primeira edição da prova na vertente feminina; as águias venceram ainda, pela primeira vez na sua história, a Taça de Portugal de basquetebol feminino; e o Sporting conquistou o seu quinto título de campeão nacional de râguebi feminino.

Destaque ainda para o judo português, com a conquista da medalha de prata por Rochele Nunes e da medalha de bronze por Joana Ramos no Grand Slam de Tbilissi, no mesmo mês em que os velejadores portugueses Diogo e Pedro Costa garantiram uma vaga em Tóquio2020, tendo ainda concluído o Mundial de vela na classe 470 no segundo lugar.

Março fica também marcado pelo arranque da temporada de Fórmula 1 e do MotoGP, com Miguel Oliveira promovido à formação oficial da KTM, com ambas as provas a passarem, uma vez mais, por Portimão.

No ciclismo, Raúl Alarcón, vencedor da Volta a Portugal em 2017 e 2018, foi suspenso por quatro anos por “uso de métodos e/ou substâncias proibidas”. Os resultados desportivos de Alarcón foram anulados entre 28 de julho de 2015 e 21 de outubro de 2019, pelo que o espanhol ‘perdeu’ as Voltas a Portugal conquistadas. E Neemias Queta anunciou a intenção de dispensar a sua época de ‘sénior’ na Universidade de Utah State e declarar-se para o ‘draft’ de 2021 da NBA.

Futebol: 'Chicotadas' lá fora e cá dentro, mais um título para Abel Ferreira

Março ficou marcado por algumas mudanças de treinadores na I Liga de futebol, numa altura em que os estádios continuavam sem adeptos devido à pandemia da COVID-19. Milton Mendes deixou o comando técnico do Marítimo e foi substituído por Julio Velázquez; Ivo Vieira substituiu Silas no Famalicão; e Manuel Machado regressou ao Nacional para render Luís Freire.

Um ano de COVID-19 em Portugal, um ano de estádios sem adeptos: o impacto (desportivo e financeiro) para os 'três grandes'
Um ano de COVID-19 em Portugal, um ano de estádios sem adeptos: o impacto (desportivo e financeiro) para os 'três grandes'
Ver artigo

Em sentido inverso, Rúben Amorim prolongava a sua ligação ao Sporting, até 30 de junho de 2024, no mesmo mês em que a Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) avançou com uma participação contra o técnico e o clube de Alvalade por "fraude na inscrição como treinador". Por sua vez, o Tribunal Arbitral do Desporto anunciava que o polémico amarelo visto por João Palhinha no Bessa mantinha-se, mas a sanção que o mesmo devia produzir (um jogo de suspensão por ser quinto amarelo na prova) ficava sem efeito.

Durante este mês, o Sporting manteve-se líder invicto do campeonato, enquanto SC Braga e Benfica garantiram a presença na final da Taça de Portugal, após eliminarem nas meias-finais, respetivamente, FC Porto e Estoril. Por sua vez, a equipa feminina do Benfica conquistava a Taça da Liga, ao bater na final o Sporting por 2-1.

Veja as imagens que marcaram o mês de março

Na Liga dos Campeões, o FC Porto apurava-se para os quartos de final da Liga dos Campeões com um triunfo dramático sobre a Juventus, de Cristiano Ronaldo, conseguido apenas no prolongamento. Nas meias-finais, os 'dragões' iam ter pela frente o Chelsea, numa eliminatória totalmente disputada em Sevilha, por força da pandemia. Na Liga Europa, a Roma de Paulo Fonseca avançava para os 'quartos de final', após eliminar o Shakhtar de Luís Castro, enquanto o Tottenham, de José Mourinho, e o Olympiacos de Pedro Martins, ficaram pelo caminho.

No Brasil, o mês foi de festa para Abel Ferreira e o 'seu' Palmeiras, com a conquista da Taça do Brasil, após o triunfo sobre o Grémio de Porto Alegre, por 2-0, na segunda mão. O técnico português conduzia, desta forma, o emblema paulista ao seu segundo troféu do ano, depois do êxito na Taça dos Libertadores.

Presidente da República agracia Abel Ferreira com Ordem do Infante D. Henrique
Presidente da República agracia Abel Ferreira com Ordem do Infante D. Henrique
Ver artigo

O sucesso dos treinadores portugueses no Brasil levou ainda à contratação de António Oliveira por parte do Athletico Paranaense. Em sentido inverso, Marselha e André Villas-Boas, que deixara o clube há um mês, acordaram a “rescisão por mútuo acordo”, Jaime Pacheco abandonou o comando técnico do Zamalek e Luís Gonçalves foi demitido do cargo de selecionador moçambicano.

Destaque ainda para o primeiro campeão de 2020/21: o Rangers, com Steven Gerrard a treinador, sagrava-se campeão escocês, conquistando o seu primeiro título em 10 anos, após um período marcado pela falência e recomeço do clube, acabando assim com a hegemonia do Celtic.

Arranque da qualificação para o Mundial, com alguma polémica à mistura

Foi também em março que a Seleção Nacional deu início à qualificação para o Mundial2022, no Grupo A, com três jogos em apenas sete dias. A equipa das quinas começou por vencer o Azerbaijão em Turim, casa emprestada, graças a um autogolo algo insólito perto do final da primeira parte.

Seguiu-se um empate 2-2 na deslocação à Sérvia, no jogo 1000 de Fernando Santos, com Diogo Jota a bisar para a equipa das quinas. Cristiano Ronaldo fez o 3-2 nos descontos, mas o árbitro holandês Danny Makkelie considerou que o jogador sérvio cortou a bola antes desta entrar, num lance que fez correr muita tinta (não havia VAR).

Análise Sérvia 2-2 Portugal: Sem segunda parte, sem VAR e sem justiça
Ronaldo protesta com o árbitro assistente créditos: SAPO Desporto

Portugal acabaria por se redimir na terceira ronda, com um triunfo por 3-1 sobre o Luxemburgo. A formação lusa esteve a perder, Diogo Jota empatou antes do intervalo e, no segundo tempo, Cristiano Ronaldo fez o seu 103.º golo pela Seleção A, antes de Palhinha fechar as contas do jogo. Os campeões da Europa igualavam assim a Sérvia na liderança do grupo, com sete pontos, num mês que marcou ainda a estreia de Paulo Sousa como selecionador da Polónia e o regresso de Ibrahimovic à seleção sueca, quase cinco anos depois.

Já a Seleção Nacional Sub-21 garantiu a passagem aos quartos de final do Europeu, ao vencer a Suíça por 3-0, na terceira e última jornada do Grupo D, em Ljubljana. A equipa de Rui Jorge terminava esta fase com três vitórias em três jogos, seis golos marcados e zero sofridos, tendo a Itália como adversária nos quartos de final.

Explode o BarçaGate

Noutro âmbito, Josep Maria Bartomeu, ex-presidente do Barcelona, foi um dos detidos no âmbito da operação 'BarçaGate', que levou a polícia catalã a realizar buscas aos escritórios do clube. Jaume Masferrer, ex-assessor de Bartomeu, Óscar Grau, atual diretor executivo do emblema catalão, e Román Gómez Ponti, diretor do departamento jurídico, também foram detidos.

Em causa esta a investigação relacionada com o caso 'BarçaGate', denunciado em fevereiro de 2020. O 'BarçaGate' consistia numa alegada utilização de uma empresa para influenciar negativamente o prestígio nas redes sociais de jogadores, ex-jogadores e outras áreas do clube, sem o conhecimento do conselho diretivo. Entre os jogadores atingidos estariam Piqué e Messi, assim como as suas famílias.

Josep Maria Bartomeu, que se demitiu do cargo de presidente do Barcelona a 27 de outubro de 2020, acabaria por ser libertado um dia após ter sido detido.

Apenas cinco dias depois, Joan Laporta vencia as eleições para a presidência dos catalães, regressando ao cargo que ocupou entre 2003 e 2010. Laporta obteve 54,28% dos votos, superando Víctor Font (29,99%) e Toni Freixa (8,58%).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.