'Champions', Liga Europa, Taças e um 'grupo da morte'

Este mês de novembro teve espaço para todas as competições e mais alguma. Na Liga Europa, Sporting e Sporting de Braga carimbaram a passagem aos 16 avos de final, ao vencerem os holandeses do PSV Eindhoven e Wolverhampton de Nuno Espírito Santo, respetivamente. Menos sorte teve o Vitória de Guimarães que disse adeus à competição, apesar de uma boa campanha. Já o FC Porto adiou a decisão da passagem para o mês seguinte.

Na Champions, o Benfica disse também adeus à competição depois de perder com os alemães do Leipzig. Os encarnados estiveram a ganhar por 2-0 até minuto 89, mas não conseguiram resistir à avalanche dos alemães nos minutos finais e empataram a duas bolas.

Novembro foi ainda mês de Taça de Portugal. Benfica, Sporting de Braga e FC Porto seguiram para os oitavos de final da competição, numa eliminatória em que o Mafra e o Sertanense foram as surpresas. Antes do final do mês foram ainda conhecidos os jogos dos oitavos de final, que vão ter direito a jogo grande com o Benfica a receber o Sporting de Braga. Já o FC Porto enfrenta o Santa Clara.

A seleção nacional também esteve em destaque neste mês. A equipa das quinas venceu por 2-0 no Luxemburgo, na última ronda do Grupo B, e conseguiu o apuramento para o Euro2020 ainda antes do final da partida, face ao empate da Sérvia. Bruno Fernandes, aos 39 minutos, e Cristiano Ronaldo, aos 86', apontaram os tentos da formação das ‘quinas’, que vai marcar presença no Europeu pela oitava vez, e sétima consecutiva, desde 1996.

No entanto, a felicidade dos portugueses sofreu um 'golpe' com o sorteio da fase de grupos da competição. Portugal ficou no 'grupo da morte', com França e Alemanha. A última seleção a integrar o grupo será conhecida no dia 31 de março de 2020, a sair do lote entre Islândia, Roménia, Bulgária e Hungria, sendo que, caso seja a Roménia a vencedora, esta será integrada no grupo C. Sendo assim, o último adversário de Portugal sairá do play-off do grupo que tem Georgia, Bielorússia Macedónia do Norte e Kosovo.

Luxemburgo vs Portugal
Jogadores portugueses festejam o apuramento para o Europeu créditos: LUSA

Jorge Jesus, o 'Rei das Américas'

Entre competições domésticas e europeias, e nos meio de muitas 'chicotadas', houve um português a conquistar a América: Jorge Jesus.

O antigo treinador de Benfica e Sporting atingiu o impensável e conquistou o Brasil ao vencer a Taça Libertadores e o Brasileirão (tudo no mesmo fim-de-semana).

Deus (e agora também Jesus) é brasileiro. JJ ajuda Portugal a colocar a primeira 'lança' na América Latina
Deus (e agora também Jesus) é brasileiro. JJ ajuda Portugal a colocar a primeira 'lança' na América Latina
Ver artigo

Na Libertadores, dois golos de Gabriel Barbosa, aos 89 e 92 minutos, permitiram ao Flamengo vencer a Taça, ao bater o River Plate por 2-1 na final disputada no Monumental de Lima, Peru. Este foi apenas o segundo título do Flamengo na prova, 38 anos depois do primeiro. Jorge Jesus conseguiu assim o seu tão desejado título internacional, e tornou-se no segundo técnico estrangeiro a vencer a prova, depois do croata Mirko Jozic.

Um dia depois, o Flamengo sagrou-se campeão do Brasileirão depois da vitória do Grêmio sobre o Palmeiras, a quatro jornadas do fim do campeonato brasileiro. O Flamengo não conquistava o título desde 2009.

Jesus negoceia renovação com o Flamengo até final de 2020
créditos: SAPO Desporto

Depois da conquista da Libertadores e com o título de campeão brasileiro, Jorge Jesus ficou com 15 títulos no currículo (3 campeonatos pelo Benfica; 6 Taças da Liga, sendo que uma foi pelo Sporting e as restantes foram para o museu dos encarnados; e 2 Supertaças Cândido de Oliveira, uma para a Luz e outra para Alvalade; e uma Supertaça da Arábia Saudita pelo Al Hilal).

É como se fosse uma 'Champions'. Jesus consegue o tão sonhado título internacional, aos 65 anos
É como se fosse uma 'Champions'. Jesus consegue o tão sonhado título internacional, aos 65 anos
Ver artigo

Em pouco mais de quatro meses, Jesus conquistou o ‘coração’ dos adeptos do ‘Fla’, mais do que pelos triunfos, pela forma como a equipa os consegue, pelo atraente futebol que pratica e tem sido traduzido em resultados, com dois troféus à ‘mão de semear’.

Um 'Golden Boy' e uma lesão arrepiante

Novembro foi um mês de altos e baixos para os jogadores portugueses, que trouxe grandes alegrias e enormes tristezas.

João Félix foi o vencedor do prémio Golden Boy de 2019, que distingue o melhor jogador de sub-21 a jogar na Europa, através de uma eleição de jornalistas europeus promovida pelo jornal italiano Tuttosport. O avançado do Atlético Madrid arrecadou um total de 332 pontos, ficando à frente de Jadon Sancho do Borussia Dortmund, com 175, e de Kai Havertz, do Bayer Leverkusen, com 75.

Menos sorte teve o internacional português André Gomes, que alinha no Everton, ao sair lesionado com gravidade na segunda parte do encontro com o Tottenham, da 11.ª jornada da Liga inglesa de futebol. Aos 78 minutos, o médio luso recebeu a bola junto a linha lateral e, depois de arrancar, foi derrubado pelo sul-coreano Son, acabando por torcer o tornozelo direito no momento em que apoiou a perna no chão.

A fratura no pé de André Gomes foi visível e chocou todos os jogadores que se aproximaram do atleta do Everton, inclusive Son, que levou imediatamente as mãos à cabeça, em sinal de desespero.

Dança de treinadores

O mês de novembro ficou ainda marcado pela 'chicotada' de vários treinadores, tanto a nível nacional como europeu. O primeiro a sentir a 'dor na pele' foi Niko Kovac. O croata foi afastado do comando técnico do Bayern de Munique, um dia depois da goleada sofrida frente ao Eintracht Frankurt (5-1), na Liga alemã de futebol. O treinador adjunto Hans Flick assumiu a equipa interinamente.

Na Primeira Liga as 'chicotadas' foram também uma constante. Nuno Manta Santos foi despedido do Marítimo e uma semana depois foi apresentado no Desportivo das Aves para suceder a Leandro Pires, que tinha assumido interinamente o plantel avense após a saída de Augusto Inácio. Já José Gomes foi o nome escolhido para o lugar deixado por Manta Santos no Marítimo.

Na Premier League a situação era semelhante. A 19 de novembro, Mauricio Pochettino deixou o comando técnico do Tottenham ao fim de cinco temporadas e meia. O treinador argentino não resistiu ao mau arranque de temporada dos Spurs e acabou por promover o regresso de José Mourinho ao ativo.

Quase um ano depois da saída do Manchester United, o 'Special One' assinou com o oitavo clube da sua carreira. Após uma dupla passagem pelo Chelsea (2004/05 a 2007/08 e 2013/14 a 2015/16) e duas épocas e meia (2016/17 a 2018/19) nos ‘red devils’, que o despediram em 18 de dezembro de 2018, Mourinho estava, assim, de volta ao mais empolgante campeonato do mundo.

Mas, as saídas na liga inglesa não ficaram por aqui. A um dia do final do mês, os ingleses do Arsenal anunciaram a saída de Unai Emery do comando técnico da equipa, um dia depois da derrota frente ao Eintracht Frankfurt na Liga Europa. Freddie Ljungberg, antigo jogador e treinador da equipa sub-21 dos 'gunners', assumiu o comando da equipa inglesa interinamente.

Modalidades

O mês de novembro foi bastante 'rico' em conquistas também nas modalidades. Logo no início do mês, a dupla formada por Rita Ferreira e Rita Teixeira conquistou o título de campeã da Europa no ‘all-around’ em pares dos Europeus de ginástica acrobática, na cidade israelita de Holon.

Esta foi a primeira medalha de ouro conquistada pela formação portuguesa, num dia em que os ginastas lusos arrecadaram ainda dois segundos lugares no ‘all-around’, pelo trio Bárbara Sequeira, Francisca Maia e Francisca Sampaio Maia e pelo quarteto Henrique Silva, Henrique Piqueiro, Frederico Silva e Miguel Silva.

Já em termos coletivos, o FC Porto fez história quando foi até a Alemanha vencer o poderoso Kiel por 28-27, em jogo da sétima jornada do Grupo B da Liga dos campeões de andebol, continuando na ‘corrida’ para os oitavos de final. Perante uma das mais fortes equipas da Europa, três vezes vencedora da ‘Champions’, em 2007, 2010 e 2012, os ‘dragões’ perdiam por apenas 14-13 ao intervalo, mas conseguiram a reviravolta na segunda parte e chegar a 27-27 - depois, no último minuto, brilharam Alfredo Quintana, com uma grande defesa, e Rui Silva, com o golo decisivo.

No futsal, Benfica e Sporting foram eliminados da Final Four da UEFA Futsal Champions Cup. Os leões perderam frente ao Tyumen por 1-3 no último jogo da Ronda de Elite, já os encarnados terminam a sua participação na prova com uma vitória por 5-3 frente ao Kairat.

Por outro lado, o Benfica garantiu a presença histórica na Liga dos Campeões de Voleibol depois de vencer o segundo set frente ao Mladost Zagreb, na Croácia. Os 'encarnados' venceram o primeiro set por 20-25 e garantiram o apuramento ao vencer o segundo set por 19-25. As 'águias' ficam inseridas agora no grupo D, com o Tours (França) , Verva Varsóvia (Polónia) e Perugia (Itália), primeiro adversário na partida do próximo dia 4 de dezembro.

No ténis, a Espanha conquistou o sexto título da Taça Davis, depois de o número um mundial, Rafael Nadal, ter somado o ponto decisivo ao derrotar o canadiano Denis Shapovalov no segundo encontro de singulares.

Oito anos após erguerem a emblemática ‘saladeira de prata’ pela última vez, os espanhóis voltaram a triunfar na principal competição por seleções do ténis, graças às vitórias de Nadal e de Roberto Bautista Agut, que no primeiro encontro de singulares da final derrotou o jovem Felix Auger-Aliassime.

As melhores fotos da semana (23 a 29 de novembro)
Pablo Carreno, Roberto Bautista Agut e Rafael Nadal junto à Taça Davis, vencida pela Espanha, em casa. (Photo by JAVIER SORIANO / AFP) créditos: AFP OR LICENSORS

A nível individual, Stefanos Tsitsipas venceu o austríaco Dominic Thiem e conquistou o ATP Finals. Num encontro que teve duas horas e 35 minutos, Tsitsipas venceu pelos parciais de 6-7 (6), 6-2 e 7-6 (4). O grego, aos 21 anos, tornou-se no mais jovem de sempre a vencer o torneio que fecha a temporada.

Nas altas velocidades, Lewis Hamilton, da Mercedes, sagrou-se campeão do mundo de Fórmula 1 pela sexta vez no Grande Prémio dos Estados Unidos. Bottas acabou a prova em primeiro lugar, com o britânico logo atrás. Verstappen foi terceiro.  Com este sexto título, Lewis Hamilton descolou do argentino Juan Manuel Fangio (1951, 1954, 1955, 1956 e 1957) e ficou a apenas um do recorde, detido pelo alemão Michael Schumacher, que ao longo da sua carreira conquistou sete (1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004).

Mas, a conquista em destaque do mês teve 'dedo' português. O Sporting revalidou o título europeu de clubes de judo, ao voltar a derrotar os russos do Yawara Neva, por 3-2, na final da Liga dos Campeões de 2019, que se disputou em Odivelas. Na reedição da final do ano passado, em Bucareste, na qual o Sporting se sagrou pela primeira vez campeão europeu, os triunfos dos judocas Kherlen Ganbold, João Martinho e Nikoloz Sherazadishvili valeram a revalidação do título, apesar das derrotas de João Fernando e do campeão mundial Jorge Fonseca.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.